Veremos a caixinha do Windows 8 Pro por quanto?

O tio Laguna sempre pensou que só houvesse uma versão física do Windows 8 vendida no varejo. Inclusive até comprei o Windows 8 Pro na caixinha, por 269 reais, única versão do Windows 8 disponível nas lojas brasileiras à pessoas não-jurídicas (empresas podem comprar o Windows 8 Pro corporativo por R$ 419 em regime OEM, sem venda direta ao usuário final). Essa minha compra foi feita lá pelo final de outubro, menos de uma semana após o lançamento mundial.

Para o pessoal que decidiu comprar o Windows 8 Pro direto da Microsoft, talvez eu tenha feito um mau negócio, mas, a partir de fevereiro, talvez eu possa vender minha caixinha por um preço maior pelo qual paguei. Isso se considerarmos os novos preços lá nos Estados Unidos:

  • A promoção dos US$ 14,99 (ou R$ 29 no Brasil) para quem comprou um computador novo com Windows 7 e pretende atualizá-lo para o Windows 8 (Pro) simplesmente desaparece ao final do presente mês;
  • A versão de atualização do Windows 8 Pro comprada online salta de US$ 39,99 (aqui no Brasil a Microsoft cobrava R$ 69) para US$ 199,99 e este será o mesmo preço da versão física por lá;
  • A caixinha do Windows 8 Pro, que era vendida a US$ 69,99 (aqui no Brasil custa 269 reais), custará os mesmos 199,99 dólares da versão online mas haverá a opção de pagar US$ 119,99 pela caixinha do Windows 8 normal sem ser o Pro;
  • Quem comprou computador novo com o Windows 8 normal, poderá fazer o upgrade para o Windows 8 Pro no valor de US$ 69,99 até o final de janeiro (no Brasil, o precinho “promocional” do Windows 8 Pro Pack é de R$ 119,00) e aí em fevereiro o preço subirá para US$ 99,99; podendo incluir um pacote de Media Centre por mais US$ 9,99.

Laguna_Win8ProBox_20jan2013

Em cima da caixinha, temos o dumbphone que eu ia substituir por um Lumia 800 (Crédito: tio Laguna)

Se o tio Laguna fosse especular o novo preço da caixinha (FPP) do Windows 8 Pro no Brasil, diria que ela custará 699 reais, baseado no suposto desconto alardeado pela Microsoft em outubro.

Um detalhe importante de minha compra em outubro foi que instalei naquela época a versão 64 bits do Windows 8 Pro, fazendo a “instalação limpa” num HD que continha o Windows 7: com o próprio DVD do Windows 8 Pro 64 bits formatei tal disco rígido, alterei o tamanho da partição e instalei o novo sistema operativo da Microsoft sem maiores problemas.

Sob tais circunstâncias, eu poderia sim considerar que a versão brasileira da caixinha do Windows 8 Pro tratar-se-ia de uma versão completa pelo suposto “preço promocional de atualização”.

Talvez haja a possibilidade de que o meu Windows 8 Pro de 64 bits tenha detectado o Windows 7 antes de formatar o disco rígido e alterar-lhe as partições. Para sanar tal dúvida, farei o seguinte: instalarei o Windows Pro 32 bits no Eee PC 1015BX, netbook da Asus que acabei de comprar para substituir o meu Pobrebook, tomando todos os cuidados para que não existam resquícios do sistema operativo que pretendo substituir nele, o Windows 7 Starter.

Até lá, só lembro que os vendedores da loja me informaram à época que a caixinha do meu Windows 8 Pro na verdade não era a versão completa e sim a de atualização. E é para tentar resolver essa confusão, entre a maioria dos consumidores, que o Procon-SP determinou que a Microsoft altere a embalagem dessa caixinha para deixar claro que esse Windows 8 Pro é a versão de atualização, exigindo portanto uma versão anterior do Windows pré-instalada na máquina.

Caso a Microsoft Brasil não cumpra o termo de ajustamento de conduta até o dia 17 de fevereiro, será multada em até R$ 1 milhão de reais. Será que as novas embalagens brasileiras já chegarão com os novos preços?

ATUALIZAÇÃO: a Microsoft Brasil divulgou os preços definitivos do Windows 8.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Emanuel Laguna

O “tio Laguna” nasceu no Siará em meio à Fortaleza de 1984. Sempre gostou de brincar de médico com os aparelhos eletrônicos e entender como um hardware dedicado a jogos funciona, mas pretende formar-se como Engenheiro Eletricista qualquer dia. Antes apaixonado pelos processadores gráficos desktop, vê nos smartphones, tablets e outras geringonças mobile o futuro da computação.

Compartilhar
  • Que salada de preços, não faz muito sentido o preço uma versão ser mais barato e da outra ser mais caro que nos Estados Unidos. Felizmente não precisei pagar pelo Windows 8 pois baixei pela MSDNAA. Mas de qualquer forma, é um investimento que vale a pena e ainda está bem mais barato que as versões “Ultimate” do Windows 7 que tenho visto nas livrarias durante últimos anos. Espero que sua previsão não se confirme.

  • Em 2013, é sem sentido pagar a mais por uma caixa. Quem, diabos, quer caixa? Sei lá, compra numa papelaria, manda fazer, imprime em casa. É como o Cardoso lançar milhões de elogios às embalagens da Apple, sendo que larga maioria não as guarda. Eu comprei um MacMini e sua ma-ra-vi-lho-sa caixa foi pro mesmo lugar que as embalagens de papel higiênico, papel de bala e os restos mortais do meu cunhado.

    • Rodrigo Fante

      No caso de hardware eu defendo, não para guardar, mas a aparência melhor da caixa ajuda a vender o produto antes mesmo de ser aberto, a fidelizar, a passar a sensação de qualidade e tratamento premium, o usuário já fica satisfeito antes mesmo de usar o equipamento, mesmo que caixa acabe no lixo como todas as outras.

      • Discordo. Ninguém vê a caixa ANTES de comprar qualquer produto. Esse negócio de qualidade premium é coisa de marketing, as pessoas não pensam assim. O que faz as pessoas comprarem mais é algo simples que começou desde que inventaram o dinheiro: preço. Se bem que eu tenho um amigo que coleciona todas as caixas dos trecos que ele compra, mas é um ponto fora da curva.

        Por que iPhones vendem absurdamente então? Por que lá fora não é o preço escorchante que é aqui. Não há as discrepantes diferenças de preço entre os fabricantes e não importa que as empresas de telefonia subsidiem, as pessoas ainda são levadas a comprar pelo preço ou Macs seriam campeões absolutos de vendas, refletindo no marketshare de seu sistema operacional.

        O design do produto pode influenciar na compra, mas não sua embalagem.

        • O uso de “coisa de marketing” e “as pessoas não pensam assim” demonstram uma claramente uma falsa compreensão do termo “marketing”. No caso da Apple, o papel da embalagem não é necessariamente ajudar a vender o produto. O fator-chave para é fidelização. De acordo com as diretrizes internas da Apple, as embalagens devem causar uma boa sensação ao abri-la (o que se aplica também ao layout interno dos computadores deles), o que criará uma imagem mental de alta qualidade e valor agregado no comprador – esperando que ele volte a comprar no futuro. ISTO é marketing.

          • “No caso da Apple, o papel da embalagem não é necessariamente ajudar a vender o produto.”

            Obrigado por concordar comigo. Este era o ponto. E esse negócio de “as embalagens devem causar uma boa sensação ao abri-la blábláblá” é coisa que publicitário inventou e macfag comprou. Porque, no final das contas, o Cardoso bem que preferiu comprar o teclado dente-azul da maçanística pela Deal Extreme ao invés de optar pela fabuloooooooooooooooosa embalagem. Mas ele deve ser o único. Ninguém compra na Deal Extreme e suas embalagens feias.

          • Charles L’Astorina

            Mas é óbvio, fidelização não é compra direta. É valor de marca que gera compras futuras.
            Nem todo o lucro de uma empresa se resume a vender mais produtos, vender mais caro também ajuda, e pra isso você precisa de clientes fiedelizados, daqueles que ficam em filas, e de uma marca forte e valorosa.
            A Apple inventou os macfags (acho esse termo uma bobagem, mas enfim) e ganha muito dinheiro graças a eles.

            É nesse sentido que uma embalagem bonita vende mais, vende mais porque vende valor agregado, então vende mais caro. Isso é básico de qualquer negócio que seja mais complexo do que produtos de camelô ou pastel na feira.

          • Então, a Deal Extreme deve amargar prejuízo em cima de prejuízo.

          • Charles L’Astorina

            Em que momento do meu comentário eu dei a entender que vender muitos produtos baratos não gera lucro?
            Assim como nem tudo se resume a vender muito e vender barato, também nem tudo se resume a vender pouco e caro.
            Há espaço no mercado pra todos os tipos de empresa, mas tem de sempre se ter uma coisa em mente: só UMA empresa pode ser a mais barata de um ramo.
            E tem outra: empresa que não fideliza cliente vira commodity, se você só compra um produto por certas especificações técnicas (tipo preço) sem ter nenhum vínculo com a marca ela tem uma situação bem pouco estável.
            Note o seguinte: o Deal Extreme muito provavelmente tem estratégias para fidelizar o cliente, mas isso nem sempre acontece com as marcas que vendem produtos ali. Ninguém lembra o nome delas e assim que surgir outra com um produto semelhante e com preço melhor ela para de vender.
            De novo cara, isso é básico, teoricamente eu não precisaria explicar dinâmica de comércio pra você.

          • I-R-R-E-L-E-V-A-N-T-E.

            Minha argumentação: o que faz um produto vender muito é preço e não caixa bonita. Até agora, nenhum de vocês deu uma única demonstração que eu estou errado e eu aposto que você seria incapaz de dizer que a caixa na qual veio sua TV é bonita ou mesmo descrevê-la em detalhes. Garanto que já foi pra reciclagem faz tempo.

            Não interessa se a empresa fideliza ou não, não é isso que eu estou falando. As pessoas compram basicamente pelo preço. Eu tenho 50 clientes e os mantenho fiéis a mim. Seu Juca não fideliza muito, não mantém seus velhos clientes, mas vende para 100 clientes, mesmo que eles variem. Quem lucra mais? E ainda não tem nada a ver com o que EU estou falando, que é a caixa como diferencial na compra ou, reitero, Macs seriam os computadores que mais vendem no mundo. Quantas pessoas vc conhece diretamente que têm um Mac?

            De novo: as pessoas que compram na Deal Extreme compram lá e continuam comprando. Isso não é fidelização? É. Por quê? Porque são produtos baratos. Muito Macfag se mantém fiel à marca da Apple, comprando fone, dock, teclado e o escambau com os Chinas. Deu lucro DIRETAMENTE à Apple? Não. Se mantiveram fiéis à marca? Sim. Por que será então? Será porque um fone de 100 reais lá com os Charlies custa 2 dólares? Porque não é pela embalagem, muitas vezes quase inexistente.

            Se vc quer debater sobre um tema, comente DENTRO do que a outra pessoa falou. Se vc ainda não entender isso, eu peço ao meu sobrinho de 3 anos para fazer um desenhinho.

          • Guest

            “As pessoas compram basicamente pelo preço.” :-))))))))

            Tudo bem, agora que eu sei com quem estou falando, eu jogo a toalha.

          • “As pessoas compram basicamente pelo preço.”
            Devido a sua argumentação com amplo respaldo no meio acadêmico e no mundo dos negócios, sou obrigado a jogar a toalha. 😉

          • Charles L’Astorina

            Olha só, além de não saber ler textos também não sabe ser educado.
            Parabéns cara, você tem toda razão!

            Você devia ser consultor de empreendimentos e aconselhar todo mundo a vender o mais barato possível, afinal, é assim que funciona o mercado. Vá lá e fique rico, você consegue, champs!

    • No ML Produto com a caixa original tem maior facilidade de revenda, principalmente produtos apple.

      • Mercado Livre. O maior diferencial mercadológico desde a padronização das moedas de ouro pelo rei Creso, da Lídia.

  • fnrocha

    A versão que está sendo vendida agora é realmente de atualização. Quando vc tenta instalar em um computador que não tem outro windows anterior instalado, ele instala porém não ativa a sua chave. Aí ele depois de instalado ele solicita uma chave full. Para burlar essa situação tem que ter algum windows instalado na máquina. Ou seja sua instalação funcionou por que ele detectou sim o outro windows na máquina

  • Caí nessa de “caixinha é versão completa” e tomei direitinho!
    Nenhum vendedor avisou, a embalagem não informava e o computador veio com o Ubuntu (que eu uso como sistema principal). Processo neles!

    • Pensei em instalar algum Ubuntu para limpar o HD do netbook de qualquer Windows para testar o DVD de 32 bits, mas vejo que gastei R$ 269 à toa! 😐

      • O meu eu comprei numa promoção “imperdível” de black friday na Saraiva, mas mesmo assim, se soubesse desse lance, teria pedido o notebook com a versão OEM, que serviria apenas para jogos que não rodam no Ubuntu (Sleeping Dogs, tô olhando pra você 🙂 ).

        Agora que você já comprou, vai uma dica: instale e ative por telefone. É a única maneira de ativar.

        • Alvaro Luiz

          instalar por cima de um windows 7 desativado também da e permanece tudo legal 🙂

          • O problema é o duplo trabalho de instalar apenas um SO.
            Microsoft…se por um lado ela tenta facilitar a vida das pessoas, por outro ela continua sendo FDP!

  • Alvaro Luiz

    A caixa é versão de atualização, mas ela faz sim uma instalação limpa e completa, DESDE QUE exista uma partição com windows instalado, (fiz o teste quando coloquei um SSD no notebook e ele exigiu a presença da pasta “windows” hehehehe mas mesmo um windows 7 não ativado ja basta para o windows 8 instalar direitinho…

    • Você também testou a versão 32 bits de caixinha? Eu tinha esperança que fosse funcionar, agora talvez eu deixe o Windows 7 Starter mesmo, sei lá. :'(

      • Alvaro Luiz

        Sim… eu tenho um 32 (notebook da minha mãe) e 64 (notebook do meu pai) e em ambos eu coloquei SSD… meu amigo tem uma loja online e os preços dele estão bem convidativos ehehehe

      • Alvaro Luiz

        Ha vale lembrar que para instalar basta ter um windows 7 na maquina não precisa sequer estar ativado… não vi problemas em fazer a instalação com este procedimento… e ambos ativaram sem problemas e com ssd os notebooks estão voando baixo! ehheh

  • Por que alguém que tem uso caseiro do PC, navegar, ouvir músicas, ver vídeos e as vezes editar textos, vai comprar o Windows 8?, que é um software pesado, consome um monte do HD e do hardware, se pode usar o LinuxMint, que é mais rápido, leve, interface mais fácil e menos confusa, e ainda pronto pra usar (Vem, com navegador, flash, java, vlc (codecs), gravador de DVD), desde a instalação e até funciona num pendrive?

    • PQ mesmo sendo um ótimo produto e cumpre bem seu propósito, o usuário comum não sabe da existência deste ou qualquer outro sistema que não seja Microsoft.

    • É mais rápido, leve, interface mais fácil e menos confusa, pronto pra usar e não instala os softwares que as pessoas QUEREM usar. O problema não é o Win8 que é pesado, seu PC que é uma porcaria, já que meu PC do trabalho roda ele num Core2Qad com 3 GB de RAM e funciona redondinho.

      • Uso num note core duo e 3 GB de Ram e funciona perfeitamente bem.

      • Alvaro Luiz

        Rodo ate em desktop atom com 2gb de ram perfeitamente bem… se bem que eles tem hds SSD… então não sei ate onde eles influenciam…

      • Luiz Carlos Querido

        É bem por aí. Desisti de Linux por causa disso. Daí vêm com aquela
        historinha de usar máquina virtual para rodas programas Windows ou o
        Wine. Oras, se é para rodar programas para Windows, então eu uso o
        WIndows, pombas!

    • Linux só tá tendo jogos AAA com o Steam no Ubuntu e olhe lá. 😐

      • do jeito que ele falou, o PC dele não deve rodar nem Campo Minado.

  • Pingback: Windows Phone dá tela azul e pede CD de instalação: ex-chefão da Microsoft usa iPhone « Meio Bit()

  • abraaocaldas

    Tou feliz da vida, Windows 8 via OnTheHub é a melhor coisa 😀

  • Pingback: CORRÃO: estoques do Windows 8 Pro menos caro estão a acabar! « Meio Bit()

  • Pingback: Windows 8 não será restrito a computador de PREIBÓI: Microsoft Brasil anuncia preços finais « Meio Bit()

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Walmart, Cupom de desconto Ricardo Eletro, Cupom de desconto Extra, Cupom de desconto Adidas, Cupom de desconto Submarino, Cupom de desconto Americanas, Cupom de desconto Casas Bahia