Digital Drops Blog de Brinquedo

O mal do malandro é achar que todo mundo é otário

Por em 16 de janeiro de 2013
emIndústria Meio Bit relacionados      
Mais textos de:

Site
  • http://twitter.com/douglasbrasil Douglas

    Burro ainda de ficar como empregado, devia ter aberto uma consultoria ou empresa de software e pronto, poderia ter feito outsourcing sem medo

    • http://twitter.com/lucasdfonseca Lucas Dutra Fonseca

      Concordo. O único erro dele foi ter continuado a trabalhar para a tal empresa.

      • http://www.facebook.com/nelson.h.c.nepomuceno Nelson Henrique Corrêa Nepomuc

        O espertão deve estar até hoje ganhando com isso. Só que em outra empresa.

    • Anderson Marques Ferraz

      Abrir uma empresa dá trabalho. Trabalhar pros outros, nesse esquema, não.

  • http://www.facebook.com/people/Weuller-Sabino/100000911620523 Weuller Sabino

    Bezerra da Silva se revirou no túmulo!

  • http://www.tiagocesar.com/ Tiago César

    Enquanto isso, excelentes programadores chineses são explorados (não creio que o valor/hora repassado seja justo).

    • http://twitter.com/jaisoncarvalho Jaison

      Maldito capitalismo

    • Alexandre Oliveira

      Pior que não é tão simples. Você consegue pagar muito acima do mercado deles (muito acima do que eles ganhariam em outro emprego na China) com um valor que seria bem abaixo do americano. Isso aliás seria excelente pra ele, pq pagando acima da média ele conseguiria manter uma mão de obra boa, melhorando a avaliação dele.

      Claro, não sei o valor pago, e muito menos o que seria o valor razoável na China, então estou apenas especulando.

  • http://www.facebook.com/leonardotsr Leonardo Toledo Sarmento Ribei

    Hora dessa empresa mandar todo mundo embora e contratar a mão de obra chinesa mais barata e qualificada.

    • Alexandre Oliveira

      Exatamente. Se o cara fazia isso e era o mais bem avaliado da empresa, tá na hora da empresa criar os mecanismos para conseguir usar essa mão de obra sem atravessadores, ao menos para tarefas julgadas menos prioritárias ou algo assim.

  • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

    D’oh!!!

  • http://twitter.com/jaisoncarvalho Jaison

    Uma pergunta, uma empresa pode vender seus produtos e/ou serviços para outras empresas ou pessoas sem comunicá-los que usa do recurso de terceirização ?

    • http://www.tiagocesar.com/ Tiago César

      Aqui no Brasil, quarteirização é proibida em contratos públicos. Na iniciativa privada, creio que não haja tal impedimento.

      • http://twitter.com/jaisoncarvalho Jaison

        e do ponto de vista ético, você vê algum impedimento ?
        A coisa pública é um universo a parte, acho que podemos deixá-la de lado para não prejudicar a discussão

        • http://www.tiagocesar.com/ Tiago César

          Cara, acho complexo, porque uma empresa terceiriza um serviço, e a empresa que pega esse serviço passa pra outra empresa, atuando como atravessadora. Essa outra empresa vai ter o serviço executado por um funcionário, o que faz com que o valor ganho por quem realmente fez o serviço seja baixo, quando comparado com quem tem o contato. Acredito que terceirização já seja o limite adequado.

          • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

            E assim funciona o capitalismo.

          • http://www.facebook.com/glauberlscosta Glauber Costa

            A X-teirização é uma realidade e faz parte de uma economia invisível. Creio eu que mais perdemos que ganhamos com isso. Posso ate pensar: estou ganhando mais que o “mané” e nem estou trabalhando. Mas com isso, baixo a guarda. Não busco me especializar mais e conhecer novas técnicas. Com o passar do tempo, torno-me obsoleto e sou substituído por aquele “mané” que contratei. Fora o risco que arcar com as responsabilidades legais do serviço prestado.
            Isso tudo fica muito na esfera filosófica da coisa. A velha história do Capitalismo x Socialismo. Posso considerar que estou “explorando o coitado(???)” mas posso considerar também que estou ajudando-o em sua renda. Posso também olhar pelo prisma de que enquanto desenvolvedor estou sendo uma espécie de cafetão, ajudando a prostituir e desvalorizar a profissão.

        • http://www.facebook.com/people/Diego-Sansana/1557925251 Diego Sansana

          Não vejo nenhum problema. P.ex., sou arte-finalista. Se eu pagar para alguém de fora fazer meu trabalho, é claro que vou ser mandado embora, mas do ponto de vista ético, não há problemas. A pessoa recebe pelo trabalho “braçal”, eu recebo pelo contato e pela “responsabilidade” do que estou entregando e o meu chefe recebe o trabalho completo. Se o “terceirizado” fizer kgada, quem recebe o esporro sou eu e não ele. Se ele não cumprir com o devido, quem paga sou eu e não ele.
          Masss, é claro que empresa nenhuma aceitaria isso…infelizmente…hahahaha

        • Guest

          .

    • http://www.facebook.com/sratoz Joao Paulo Cursino

      Tirando setor público, pode. Mas, é claro, vai responder por isso: se a qualidade não atender, não adiantará culpar a quarteirizada; afinal, ela mesma é que recebeu. Mas pode, sim. É um contrato como outro qualquer: A entrega alguma coisa a B (e entrega mesmo), B paga a A.

  • http://twitter.com/silmargeremia Silmar Geremia

    Agora, se eu quisesse contratar essa empresa/recursos/pessoas que ele contratou, onde eu deveria ir?

  • http://www.facebook.com/nelson.h.c.nepomuceno Nelson Henrique Corrêa Nepomuc

    Não sou um capitalista selvagem. Mas deixo a minha opinião:
    O maior problema dessa história é a possível exposição de propriedade intelectual e segredos de negócio da empresa; além do risco de responsabilidade legal da empresa pela subcontratação. Tudo isso sem conhecimento ou consentimento da empresa. Isso é inadmissível.
    Do resto, ao que me parece, ele fez a roda da economia girar. Quanto será que esses pobres chineses estavam ganhando? Será que para eles é pouco? Então pense nisso quando comprar um celular novo, um tênis ou uma bolsa de marca.

    • David

      Hahaha, e logo para os chineses que não gostam de fazer suas “versões” para tudo o que existe.

  • http://twitter.com/Cyber_Ramses/ Ronaldo Gogoni

    “Malandro é malandro, mané é mané…”

    Como todo castigo para otário é pouco, além de demitido o certo é que ele seja processado: o que ele fez é crime, passar informações confidenciais para terceiros. Ele simplesmente ferrou com a política de segurança das empresas em que trabalhou e podia ter afundado elas!

  • Eliezer Souza

    Ai sim, usou o IT Crowd e não o The Big Bang Theory rs

  • BroncoBom

    CTRL + C – CTRL + V:


    9:00 a.m. – Chega na empresa e fica horas no Reddit. Assiste vídeos de gatos
    11:30 a.m. – Almoça
    1:00 p.m. – Uma passadinha no Ebay
    2:00-ish p.m – Atualizar o Facebook e uma olhadinha no LinkedIn
    4:30 p.m. – Email para a gerência passando a atualização dos trabalhos do dia
    5:00 p.m. – Dia puxado, hora de ir pra casa.”

  • http://www.facebook.com/marcosaljr Marcos Aurelio Lannes Jr.

    Como teve um que disse aqui o pior não foi “terceirizar” o trabalho, e sim enviar informações privadas a pessoas estranhas, pondo em risco a segurança online da empresa.

  • Bruno Barbieri

    Era só usar um PC em casa sempre ligado, mandava os chineses conectarem nele e a partir de lá trabalharem… pronto. Claro, só precisava combinar os horários.

  • Humberto Henrique

    Horas na internet, terceirizar o serviço, ele trabalhava é como gerente isso sim

  • Luiz

    Eu queria saber que empresa/site é esse. Poderia terceirizar uns trabalhos aqui da faculdade :p

  • http://www.facebook.com/cacio.frigerio Cacio Frigerio

    Qual a diferença disto e de uma empresa tercerizada? O cara era A empresa… tipo uma empresa individual.

    Ok tem os procedimentos de segurança, informação confidencial, bla bla bla… mas o cara ganhava o salário e entregava o trabalho; COMO ele fazia é menos relevante…

  • David

    Acho que todo malandro também tem seu dia de otário, kkkkkkkkkkk

  • Pingback: Bob fazia OUTSOURCING DO PRÓPRIO TRABALHO PARA A CHINA. É bem simples: a empresa pagava o salário do Bob e ele terceirizava o próprio serviço pra escravos chineses (obviamente por um valor muito menor). | code snack()