Digital Drops Blog de Brinquedo

Armas via Impressoras 3D? Ainda não.

Por em 4 de dezembro de 2012
emHardware
Mais textos de:

Site | Twitter
  • http://twitter.com/TronBrVix Rodrigo da Motta

    Depois de 5 tiros… Dá para fazer algum estrago até pedir arrego ! o.O

    • cquintela

      Sim, se entrar com uma arma dessa em um banco (afinal o detector de metal não vai pegar). Não precisa nem disparar para assaltar o lugar.

  • Hollander

    5 tiros… Para o morto basta apenas um.

  • http://www.facebook.com/jaime.cirne Jaime Cirne

    Acho que teria mais sucesso de fosse feita de lego

  • http://www.facebook.com/ly.marqwes Ly Marqwes

    quando soube da impressora 3D . A primeira coisa foi pensar : ah! agora vai ter uns psicos “imprimindo” armas…” . Esses hippies são uns bobocas mesmo p esquecer desse detalhe… mas mesmo 5 tiros já é preocupavel… pensa uma criança meio doidinha com essa possibilidade nas maõs ?

  • http://www.facebook.com/luctimm Lucas Timm

    As armas convencionais são pesadas, feias e difíceis de usar? Não se preocupe! Chegaram as novas armas descartáveis da Acme! Com a garantia de funcionamento de até 5 tiros, ela é ideal para você que precisa de um armamento leve, arrojado e ideal para o dia a dia. As armas descartáveis da Acme vem em até 5 modelos sortidos dispensam porte de armas:

    - AR-15
    - AK-47
    - Glock 9mm
    - Winchester 22
    - Magnum 357

    E se você ligar nos próximos 15 minutos, ganha inteiramente grátis e sem custo adicional o exclusivo tripé para apoio e luneta com suporte a visão noturna.

    Peça já o seu no Trollishop!

    (Armas descartáveis, taí. Vou patentear essa idéia! Onde mesmo eu compro uma impressora 3D? :D)

    • http://www.facebook.com/profile.php?id=100002528437633 Claudio Roberto Cussuol

      Legal é o nome da loja.
      kakakakaka.

  • http://twitter.com/Cyber_Ramses/ Ronaldo Gogoni

    Tecnologia sempre foi usada primeiro para matar pessoas, assim é a história da humanidade. Mas o jeito que a arma de desfez é impagável. Não é viável agora mas será em breve, é inevitável.

  • http://www.facebook.com/nelson.h.c.nepomuceno Nelson Henrique Corrêa Nepomuc

    Corajoso o sujeito para usar uma munição daquelas um uma arma de “prástico”.

  • http://www.facebook.com/nelson.h.c.nepomuceno Nelson Henrique Corrêa Nepomuc

    Está mais fácil alugar os serviços de uma metalúrgica.

  • http://www.facebook.com/odissey.henrique Ulisses Marioto

    Na prática?? ainda as impressoras são caras, mas não são estáticas, fixas e atemporal, ela evolui exponencialmente, e claro que a medida que evolui democratiza radicalmente, e será o fim do capitalismo, porque abole o trabalho manual, assalariado, 99% são assalariados querido amigo, além de aboli a divisão do trabalho, a necessidade de unidade monetária equivalente geral de bens, pode ser compartilhado os modelos peer to peer, como já existe no pirate bay, além do senhor está enganado, é possivel com um Kinect e scanners já existente, masterizar em 3D instantaneamente os objetos reais, além de software livres que já existem em tablets touch, que uma criança de 5 anos pode alterar o formato e a cor, mesmo que sobreviva profissional de modelagem 3D se realocar todo o trabalho na curva para essa especificidade, criará uma super oferta de mão de obra, e um excedente de reserva e a remuneração desse fator-de-produção, será pão e água rs, a descentralização dos meios-de-produção, e a não necessidade de logistica e de distribuição do produto fisico, além de substituir a produção em escala, por customização em massa, vai derrubar o vareja, o atacado, e a industria tradicional

    Se tu está preocupado em preservar o lixo do capitalismo que já entrava diversas tecnologias há tempos em virtude de lobby e ordem produtiva

    Vai lá quebrar as máquinas otário rs

    • Charles L’Astorina

      Engraçado, os comunistas em geral enxergavam um futuro com grandes provedores pra massa, e não diversos mini-provedores nas casas de todos, isso é uma idéia de mundo bem mais próxima do capitalismo.

      Uma máquina industrial vai ter sempre ter muito mais capacidade que uma máquina caseira, a tecnologia evolui pra todos: o fato de todo mundo poder ter uma impressora a laser em casa não matou a indústria gráfica.
      Nenhum impressora a laser faz o que uma offset pode fazer, e se algum dia puderem as impressoras industriais farão muito mais.
      Toda tecnologia tem uma ponta de lança, e ela sempre vai ser cara demais pra estar na sua casa. E claro, sempre vai ter alguém disposto a pagar (dependendo do que for o preço é inclusive menor) pra ter o produto mais bem acabado produzido pela indústria de grande porte.

      E já que falamos de impressoras de papel, se as impressoras 3D caseiras forem que nem essas (cartuchos absurdamente caros, vida útil mínima, infinitos problemas de hardware e software) eu duvido muito que a moda vá pegar.

      Eu mesmo desisti de ter uma impressora em casa há muito tempo…

      • Ramon E. Ritter

        Corroborando o que você escreveu: toda vez que se disponibiliza ferramentas para o mercado doméstico a tendência é só aumentar as oportunidades no mercado profissional. E sobre as impressoras 3D, ainda as vejo apenas para protótipos ou, quando baixarem os preços dos consumíveis, para hobistas criarem produtos para si mesmos. De qualquer modo, é muito legal ter a possibilidade de se criar produtos com ela…

      • http://www.facebook.com/luctimm Lucas Timm

        Concordo.

        Nos anos 90, havia um misticismo na idéia de ter um computador com impressora. Todos fariam trabalhos escolares, cartões de aniversário, de visita, projetos de aviação, salvar o mundo das cáries, e etc, dispensando assim qualquer outro método pré-existente para tal. Tudo seria resolvido de forma mágica pelo computador.

        Aí as pessoas perceberam que, um computador mal vinha com paintbrush, a qualidade das impressões era (e ainda é) pífia e qualquer coisa mais avançadinha necessitava algum software específico para tal. O próprio Office não vinha com Windows, e naqueles tempos sem internet, gravadores de CD e pirataria, era bem complicado conseguir uma cópia.

        Muitos se viraram com Wordart (argh), ou instalaram o Corel Draw/Photoshop e outros softwares de nicho para tentar criar coisas assim. GEralmente não saía nada que prestasse. :)

        Hoje com as impressoras 3D a idéia meio que se repete…

      • http://www.facebook.com/odissey.henrique Ulisses Marioto

        Uma máquina industrial vai ter sempre ter muito mais capacidade que uma máquina caseira, a tecnologia evolui pra todos: o fato de todo mundo poder ter uma impressora a laser em casa não matou a indústria gráfica.

        Lógico não é amigão, as máquinas industriais é voltada para a produção em ESCALA porra, e não pequenas unidades,

        A vantagem da impressora 3D que posso customizar e imprimir minha subjetividade, além de ser fabricação aditiva e não subtrativa, não necessitando de uma cadeia produtiva, composta por máquinas diversas em uma espécie de divisão do trabalho produzindo uniformizado e produtos padrões, a impressora 3D tem a vantagem de produzir um objeto camada por camada, com as peças já integradas, sem necessidade de uma cadeia produtiva extensa, poluidora, um dinossauro consumindo kilowatts de energia e centralizado, se você acha isso “inferior” volte para a Revolução Industrial lá está a inovação

      • http://www.facebook.com/odissey.henrique Ulisses Marioto

        Uma máquina industrial vai ter sempre ter muito mais capacidade que uma máquina caseira, a tecnologia evolui pra todos: o fato de todo mundo poder ter uma impressora a laser em casa não matou a indústria gráfica.

        PORRA querer comparar a Industria Gráfica com a Fabricação Aditiva é non sense, primeiro porque a Indústria Gráfica é apenas um setor Industrial, e a Fabricação Aditiva vai substituir toda Industria de Transformação, não obstante, vai também , altera como produzir, e reorganizar o espaço, além de alterar a distribuição e apropriação do produto, mas voltando

        A Industria gráfica tem como modelo para sua destruição criativa, os tablets, os oleds, etc, está em processo de popularização, pessoas lendo livros em tablets, revistas, jornais, e depois tecnologia oled, o setor gráfico e da midia convencional está sendo e será 90 % afetada, assim como foi a Industria Fonográfica há 15 anos atrás,

  • http://www.facebook.com/odissey.henrique Ulisses Marioto

    Já é possivel imprimir em metal

    • Charles L’Astorina

      Cadê?
      Um vídeo de um cara chamado Tiago Impressão não prova nada.

      • http://www.facebook.com/odissey.henrique Ulisses Marioto

        rapaz ele é dono de uma empresa que imprime sobre demanda

        ele tem impressoras de fusão a laser inclusive

  • http://twitter.com/carloscruzphoto Carlos Cruz

    … entre os hippies do movimento Make de que impressoras 3D serão o fim do capitalismo, as pessoas criarão em casa todos os objetos do dia-a-dia, acabando com a sociedade de consumo… Não é que um deles se manifestou!!!

    • http://contraditorium.com Carlos Cardoso

      Conheço meu gado ;)

      • http://www.facebook.com/odissey.henrique Ulisses Marioto

        então vem para o debate seu analfabeto

        conhece porra nenhuma, me surpreenderia se soubesse algo minimo de economia,

        Mas fiz um esquema de maternal para você se situar a crise estrutural mundial e suas causas:

        Revolução Industrial -> mecanização dos campos -> êxodo rural -> meca

        nização da Industria ( homem como extensão da máquina)/ produção em escala -> Fordismo, Taylorismo: expansão dos setores Industriais -> realocação de 90 % da força de trabalho a Industria -> oligopólios -> exército de reserva-> rendimentos em escala -> década de 70 advento da microeletrônica, robotica, automação industrial -> Toyotismo-> redução da mão-e-obra na Industria, desemprego tecnológica -> intensificação da exploração do trabalho -> realocação de 80 % da Mão-de-obra mundial para o setor de serviço-> taxa de lucros decrescentes na Industria ao passo que aumenta a produtividade com a automação do aparelho produtivo nos mais diversos setores -> queda na demanda efetiva com a queda de renda – > Setor de serviços, remuneração da mão de-obra insuficiente -> crise de superprodução -> unidades produtivas em capacidade ocioso-> advento da Tecnologia da Informação -> mobilidade de capitais internacionais -> dinheiro eletrônico e facilidade na impressão de dinheiro seja pelo Estado ou pelos bancos em reservas fracionadas -> informatização com CPDs, redes intranet, internet-> informatização atuando nos 3 setores: primário ( agricultura), secundário ( industrial), terciário ( serviços), aumentando o produto total da economia, reduzindo a renda liquida disponivel, em virtude das taxas de lucro decrescente -> realocação de capitais produtivos para capitais improdutivos no mercado de financeiro ( derivativos, titulos públicos) visando aumentar a taxa de lucro já impossibilitado na ” economia real” em detrimento das contradições inerentes do modo de produção capitalista -> bolhas financeiras, crise em espiral -> Crise de 2008 -> Estado endividados para salvar o Sistema Financeiro Internacional -> queda da atividade econômica já paralisada e sem proporcionar taxa de lucro crescente, custo de oportunidade menor que 30 % – > Extração de lucro através de recursos públicos -> impressão desordenada de dinheiro via Bancos Centrais -> austeridade para reduzir a quantidade de dinheiro em poder do pública e evitar a hiperinflação -> Recessão e Depressão econômica -> modo de produção esgotado, entravando as forças produtivas exógenas e endogena ao sistema econômico

  • Charles L’Astorina

    Pois é, por isso que não deveriam ter se desfeito do nome original dado pra tecnologia: Prototipagem Rápida.

    Impressoras 3D não servem pro produzir produtos acabados, no máximo chaveirinhos. O próprio sistema de impressão (déposito de material em camadas) gera um produto com pouca resistência física.

  • arakawa

    Eu já tinha visto essa notícia uns meses atrás. A grande polêmica era imprimir o *receiver*, porque é a única parte da arma que é controlada. Lá na gringolândia, vc pode comprar todas as outras peças no supermercado, mas o receiver precisa de registro, licença e tal.

  • http://www.mauriciovittorazzi.com.br/ Mauricio Vittorazzi

    Ainda é mais fácil e barato comprar armas ilegalmente do que uma impressora 3D.

  • W. W. Barros

    Avise-me quando chegarmos ao futuro da HQ Transmetropolitan, onde em cada residência existe uma máquina chamada “Criador” que fabrica qualquer coisa utilizando como matéria prima algo que eles chamam de “matéria neutra” (ou coisa parecida). O problema com essa máquina é que ele é vendida pela máfia e tem uma inteligência artificial bem avançada, que às vezes torna-se viciada em drogas ilegais, que ela mesmo fabrica.

  • http://www.facebook.com/people/Pedro-Stürmer/100002329934014 Pedro Stürmer

    Pelo que andei lendo sobre o assunto, o medo das autoridades não é da arma de plastico em si. O problema é qualquer um sem o menor conheciemnto sobre armas de fogo, ja teria seu molde de plastico pronto, bastante apenas usá-lo para fabricar armas de ferro em uma oficina metalurgica improvisada. E é ai que mora o problema, a fabricaçao de armas seria MUITO mais fácil.

  • http://www.facebook.com/odissey.henrique Ulisses Marioto
    • http://contraditorium.com Carlos Cardoso

      Banido. Isso aqui não é seu twitter. Mantenha um mínimo de respeito.