Grupo de Direitos Humanos quer proibir robôs assassinos autônomos. Boa sorte.

ed209

Normalmente legislação é algo reativo, mas no caso a proposta é pró-ativa, se preocupa com um problema ainda inexistente, mas conhecendo nossa raça, é só questão de tempo.

O Human Rights Watch e a Clínica de Direitos Humanos da escola de Direito de Harvard divulgaram um relatório onde alertam para o perigo de robôs serem usados em situação de combate, tendo decisão final sobre vida e morte dos inimigos.

Ou seja: Um robô sem a Primeira Lei, executando a 3a, que prevê a proteção da própria existência.

A Organização admite que o incentivo de criar robôs de combate é diminuir o número de baixas, mas temem que esses robôs se rebelem OU fiquem descontrolados, e nesses casos ninguém seja responsabilizado. Querem inclusive que a construção desse tipo de robô seja proibida por Lei.

Vou contar um segredo: Máquinas já matam sem controle ou comando humano. Cercas eletrificadas, minas terrestres, IEDs e armadilhas de bambu vietnamitas são máquinas criadas para matar o inimigo, ou quem chegar perto.

Em um mundo ideal um robô seria bem mais “humano”, só atirando no inimigo em determinadas circunstâncias, não sendo afetado por decisões passionais. Na prática, claro, se conseguirmos uma histórico como o do ED-209 já será de bom tamanho.

Esse estudo, e as petições que se seguirão são pura ingenuidade. Não se interrompe corrida armamentista por medo das armas futuras se tornarem mais eficientes. Se há UMA previsão que podemos ter certeza de que é só questão de tempo, é que ainda no período de nossas vidas veremos robôs de combate alegremente ignorando as a Primeira Lei da Robótica e sentando o dedo em quem tiver o azar de aparecer na frente deles com uma toalha na cabeça.

Fonte: PS

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Edmilson_Junior

    Ainda não existem?? Pensei que fossem reais. Detector de movimentos, Kinect mesmo, + software de mira e está pronta a arma autônoma, poe rodinhas e está completo. O problema é diferenciar amigo de inimigo.

    • Unfear

      Rodinhas? para que esta limitação primitiva?

      https://www.youtube.com/watch?v=MvRTALJp8DM

      • Edmilson_Junior

        Unfear tentei manter o projeto simples de forma que “qualquer” pessoa possa fazer em casa. Se for para melhorar vamos de Hoverboard

  • É a mesma ladainha de regulamentação armamentista, nenhum país vai regular a produção de novas armas, seria burrice deixar outros países desenvolverem armas avançadas e ficar pra trás. Aliás a única regulamentação de armas que não podem ser mais utilizadas em combate foi a proibição de bombas de fósforo e as de fragmentação, mesmo assim acho que foi por elas não serem tão necessárias.

    • Mas não faz pouco tempo Israel não usou bomba de fósforo? (mesmo teoricamente sendo banida?)

      • OverlordBR

        E alguém acredita que regulamentações, especialmente as relativas às armas, são cumpridas? 🙂

    • Só esqueceram de avisar Israel, que está soltando bombas de fósforo branco em Gaza.

      • Estão usando desde os bombardeios anteriores a este, mas essas regras só são aplicadas mesmo à países com uma força militar e politica meia-bomba, não é o caso de Israel, pode dar uma merda só se fizerem uma cagada muito grande e matar um número de civis considerável.

  • O que falta é um cérebro positrônico se tivéssemos isso a primeira lei nunca seria descumprida.

    NUNCA!?

  • SantoCyber
  • Num futuro próximo guerra será videogame de gente grande, robôs vs robôs. Até os robôs refletirem porque estão matando os da própria espécie e se rebelarem contra seus dominadores. Aí, fu pra nós.