Depois de um ano YouTube descobre que não é fácil ser HBO e cancela metade dos canais

abedbatman

Ano passado o YouTube anunciou que iria investir em conteúdo original. Foi uma fortuna colocada em grandes e/ou promissores canais. Em alguns casos o investimento chegou a US$5 milhões. Pode não ser muito para padrões televisivos mas na mão de um Epic Meal da vida dá pra comprar muito Bacon.

A idéia era engajar os usuários, tansformando-os em espectadores, gerando toneladas de visualizações e consequentemente, receita publicitária.

O conceito era ótimo. Por um lado lembrava o Cavalcade of Humour, projeto de Seth McFarlane em 2008 que iria gerar conteúdo exclusivo para YouTube, com patrocínio direto e renderia milhões. Ao contrário de quase tudo que Seth coloca a mão, o Cavalcade não deu certo e hoje até o domínio foi abandonado, e cai na home do provedor.

O YouTube resolveu ignorar décadas de experiência da indústria televisiva, e abriu a bolsa, nem nenhum critério. Com isso investiu em coisas “geniais” como um canal de humor do Shaquille O’Neal.

Junte a isso a imensa quantidade de conteúdo já subido pelos usuários e se torna virtualmente impossível concentrar audiência em um único canal o suficiente para ele se tornar lucrativo. Isso é complicado até em TV de verdade, séries excelentes como Community e Pushing Daisies não são renovadas por falta de público. A quantidade de conteúdo disponível no mundo hoje é grande demais, dispersa demais.

O experimento acabou. 50% dos canais foram cancelados, mas não da forma rápida e indolor com que emissoras de TV cancelam séries. No caso, conforme reporta o All Things Digital, o YouTube irá cancelar a verba mas os canais serão livres para continuar a fornecer conteúdo. Só que 100% da receita publicitária será recolhida pelo YouTube para recompor o investimento.

Isso mesmo. “Não vamos mais te bancar. Continue trabalhando de graça até devolver o que te emprestamos fingindo que era investimento”. O YouTube fez uma oferta que eles não poderiam recusar, e não recusaram, pelo visto.

Nada mau, pra quem se orgulha do “Do No Evil” o Google se saiu pior que executivos de TV.

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Só androideiro Lunatico e pessoas ignorantes cultuam o google. O google vem se mostrando cada dia mais perigoso que um dia microsoft, oracle e tantas outras se mosrtraram.

    • OverlordBR

      Só lunático e ignorante para cultuar qualquer empresa sem estar ganhando alguma coisa com este ato. 🙂

  • Yuri

    Que mal há nisso? Foi realmente um investimento, agora viram que não deu certo e cancelaram. Se quiserem continuar fazendo conteúdo façam por outros motivos, não por dinheiro pq não há mais investimento. Continua trabalhando quem quiser, ninguém é obrigado a continuar bancando o Google feito um escravo.

    • Você não leu direito a matéria.

      • Aparentemente o que ele disse foi o que está escrito na matéria. “[…] o YouTube irá cancelar a verba mas os canais serão livres para continuar a fornecer conteúdo. Só que 100% da receita publicitária será recolhida pelo YouTube para recompor o investimento.”

        O que eu entendi foi: o Youtube cancelou a verba e os canais não são obrigados a continuarem no ar. Continuam se quiserem. E *se* escolherem continuar no ar o dinheiro gerado por publicidade será do Google.

        • Rodrigo Fante

          Esse ponto final que é o problema, cancelou? Beleza.

          Agora é um novo acordo, querem produzir, trabalhem de graça para nós? sei não hein…

          O correto seria dar a opção de divisisão de lucros do que vier.

  • Vandré Caetano

    Para que o google não fosse considerado evil nessa história, o que ele deveria fazer? manter os canais dando despesa pra sempre? ou ele é mal por estar pegando 100% das propagandas dos canais que ele pagou para serem criados?

    • Rodrigo Fante

      Cancelar aconteceu, querer que alguém pague o que eles ofereceram como investimento é que é o problema.

      O dinheiro já foi perdido, o correto seria fazer um acordo com cada canal e oferecer parte da publicidade para quem quiser continuar tocando, bom para os visitantes, bom para o Google que continua ganhando sem custos a fundo perdido e possivelmente bom para os canais que tiverem chance de fazer dinheiro.

  • Achoque nem a Apple seria capaz disso.

  • seria legal uma referência dessa notícia, tá muito com cara de mal entendimento.