Ex-CTO da Pixar torna real o maior pesadelo do Protógenes

Oren Jacob era Chief Technical Officer da Pixar, então não é exatamente alienígena na área de tecnologia de entretenimento, o que dá bastante esperança de que seu projeto na ToyTalk dê certo.

Com mais de US$16 milhões em investimento já arrecadados, a Startup está indo de vento em proa (vento em popa é péssimo). O produto é algo que só poderia existir hoje, fruto da agregação de várias tecnologias que finalmente estão maduras o suficiente: criaram um ursinho que fala.

EU SEI que nos anos 80 todo mundo tinha um Teddy Ruxpin, depois um Furby, mas o conceito aqui é bem mais aprimorado. Pelo que dá para deduzir do teaser, uma App de iPad fará reconhecimento visual do ursinho da criança, colocará boca e expressões faciais e rodará um software de conversação.

Se com algo genérico como Siri já dá pra gente se divertir, imagine um programa específico para crianças, com capacidade de contar histórias, responder perguntas e guardar informações, como o nome da dona.

seria TRIVIAL inclusive o programa fazer reconhecimento de face e chamar as pessoas pelo nome.

Ao contrário do Projeto Milo, da Microsoft, não há risco do software da ToyTalk cair no Vale da Estranheza. A criança muito provavelmente usará seu próprio ursinho.

Não é portátil como o urso de Inteligência Artificial, do Spielberg, mas a televisão, o videogame e a piscina também não são. As possibilidades são imensas, esperemos que consigam entregar o projeto!

Fonte: BB

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Cardoso, quando for portátil como gostaríamos teremos o “Robbie” do primeiro capítulo do “Eu Robo” do Asimov, seria show de bola heim? Só não acredito que ele conseguirá correr com a criança no colo como no livro! rs…

  • Carlos Magno GA

    “a Startup está indo de vento em proa (vento em popa é péssimo)”

    Honeypot?

    • Se não for, automaticamente será quando alguem meter a mão. Primeira Lei de Meiobit.

  • “Não é portátil como o urso de Inteligência Artificial, do Spielberg, mas a televisão, o videogame e a piscina também não são.”

    A TV no meu celular Samsung Galaxy S e os Gameboys da vida discordam de duas dessas afirmações 😀

    • Roda Halo IV nele então.

      • Hahaha, pô, Cardoso, aí você me quebra 😀 Não roda Halo IV nem no PS3, então tá tudo na mesma 😀

  • “…imagine um programa específico para crianças, com capacidade de contar histórias, responder perguntas…”

    A tecnologia é bem legal, mas a parte de contar histórias e responder perguntas não seria dos pais?

    A propósito, videogame e televisão já são portáteis há muito tempo, quanto a piscina eu concordo a menos que seja uma piscina fabricada em Lilliput, mesmo assim seria impraticável as pessoas usarem se não forem nativas de lá.

  • Só eu achei estranho a guria se incubar no quarto para brincar com um sistema que substitui o imaginário dela? Ai depois reclamam que crianças não sabem diferenciar uma batata doce de um abacate.