Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Estúdio diz que proteção contra pirataria lhes permitiu crescer

Por em 10 de novembro de 2012
emIndústria relacionados   
Mais textos de:

Site | Twitter
  • paulokdvc

    Olha Dori, desde de o dia em que eu descobri, que tinha de ficar conectado online todas as vezes que eu ia jogar, fiquei puto hem!

    E desde o dia em que eu descobri, que não podia trocar meu hardware que dava mer#@, fiquei puto hem!

    • http://www.vidadegamer.com.br/ Dori Prata

      o grande problema não está no DRM em si, mas na forma como alguns deles podem atrapalhar aqueles que compraram o jogo.

  • Keaton

    Já tive de piratear alguns jogos que comprei, motivo? O DRM retardado insistia que o computador não era o mesmo da primeira instalação ou que o serial era inválido. (Cereja: eu não havia mudado NADA, apenas um unico reboot involuntário no começo do jogo.)

    Mas é fogo, não me importo de pagar pelo jogo, desde que eu não tenha de baixar a versão alternativa para jogar… =_=”

  • darkus

    “Como boa parte das pessoas não aceitam a ideia de esperar um tempo para colocar as mãos em um jogo, querendo aproveitá-lo assim que ele for lançado”

    Eu atualmente tenho esperado promoções de -50%, quanto mais semanas para a versão piratex… hehehe nem me importo mais de não pegar jogo no lançamento, o ultimo foi Dark Souls PC, mas apenas por que consegui 20% no green man gaming.

  • http://alenonimo.com.br Alenônimo

    Eu vivo comprando jogo no Steam. Steam é um DRM, que não enche o saco, além de catalogar os meus jogos e me permitir conversar com amigos.

    Quando é feito certo, DRM não amola o cliente. Eu acho o Steam bacana.