Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

“Kevin Butler” é processado pela Sony por jogar Wii em um comercial

Por em 8 de outubro de 2012
emSony relacionados    
Mais textos de:

  • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

    Tudo depende: o contrato dele para a Sony incluía alguma cláusula o proibindo de aparecer usando produtos da concorrência, mesmo sem estar fazendo o papel do tal Butler?

  • Kenji

    Fica difícil dizer, se não tinha nada no contrato, beleza. Mas, por outro lado, é como o Hugh Laurie aparecer fazendo um médico ranzinza no filme, mesmo que o nome do personagem não seja House a referência fica clara. Nesse caso, a Bridgestone fez um bom negócio pois aliou um personagem conhecido (assim você me diz) em um nicho à sua promoção com o mesmo público alvo. E com isso chutou o pau da barraca da Sony, será que as empresas não se bicam? É difícil até ver empresas rivais se sacaneando desse jeito, que dizer empresas de mercados díspares.

  • leandrovallina

    Tanto o ator quanto a marca de fez o novo comercial, sabiam que isso iria dar repercussão e mesmo assim o ator resolveu correr o risco, ou ele está muito bem assessorado ou muito mal assessorado. Não acredito que o cara fosse ingenuo o suficiente para não pensar nas consequencias

  • Keaton

    A Sony comprou o ator…. e eu achando que não era possivel comprar uma pessoa.

  • http://www.facebook.com/people/Billy-Costalonga/100000412940588 Billy Costalonga

    Ele faz o papel de um executivo nas propagandas da sony, e de um cientista na propaganda da Bridgestone.
    O que a sony alega é que a “imagem” dele ficou associada à sony, mas ele não está usando o personagem. Me parece caso de letras miúdas, ou viadagem da sony.

  • sapobrothers

    Na época da propaganda do “tiozão” da Sukita, uma marca de automóveis fez uma “resposta” – onde a garota que esnobava o sujeito se via atraída por ele num carrão – e ele no carro com uma coroa de respeito. A própria marca preferiu não lançar o comercial com receio da reação da marca de refrigerante.

    As cláusulas envolvendo “cara” do ator como personagem tentam se salvaguardar com as cláusulas dos contratos, como o garoto propaganda da Bombril que não podia fazer comercial de concorrente, mas muito provavelmente o caso citado está dentro das brechas – já que ele não faz propaganda do vídeo-game em si.

  • leandrovallina

    Como eu disse antes, é falta de bom senso do ator.
    No Brasil já tivemos um caso bem proximo a isso, ofereceram um alto valor para o garoto propaganda da Bombril (se lembram dele) fazer o comercial de outra palha de aço.

    O ator recusou a oferta, e depois disse em uma entrevista que não tem nenhum contrato com a Bombril que puna ou não permita que ele faça outros comerciais com outras empresas ou concorrentes, mas mesmo assim ele teve a “ética” e o bom senso de não aceitar a oferta.
    E deixou claro que fez isso mais por gratidão e respeito a aquelas pessoas com que ele trabalhou a muitos anos atrás. Resumindo, o cara é muito respeitado no meio publicitário

    • marcos.petropolis

      Exatamente.Apesar de legalmente ( acredito eu, salvo contrato dizendo o contrário) o ator ter a possibilidade de fazer comercial de qualquer outra coisa até mesmo de vídeo game , a ética deveria ser levada em consideração.Ou no mínimo uma consulta á Sony,porque não? Também não acredito na inocência do ator , ele deve ter medido as consequências.

    • http://twitter.com/guilhermefickel Guilherme Fickel

      (não tem como apagar comentários?)