Windows 8– íntimo e pessoal

DSC06394

No começo da semana recebi uma oferta que não poderia recusar: Um encontro em petit comité com Robin Goldstein, Gerente de Projeto da Microsoft, com 16 anos de casa. Claro, não foi tão VIP quando um encontro com Batman Goldstein, mas o MeioBit não tem tanta moral assim 😉

Foi uma rara oportunidade para sentar e por mais de uma hora ver efetivamente o Windows 8 RTM ser usado por quem o desenvolveu, tirar dúvidas e, principalmente, aplacar vários medos. Mesmo assim ainda é um tudo-ou-nada, a Microsoft está apostando em uma mudança radical na própria filosofia do Windows, mesmo tendo um virtual monopólio do mercado desktop E um grau de satisfação de usuários que não se vê faz tempo.

Qual o motivo de colocarem rodas na galinha dos ovos de Ouro então? Simples, beibi, assim como Zed, o Desktop is dead. Morreu, kaput, bateu as botas, é um ex-desktop, foi encontrar seu criador.

“ah mas eu tenho um desktop não morreu não”

Eu também tenho, mané, mas ninguém sobrevive nessa indústria olhando pros próprios pés. Um projeto de sistema operacional leva anos para ficar pronto, quando o Windows 7 saiu o iPad sequer existia. Entre ele começar a ser desenvolvido e chegar nas lojas os netbooks Linux passaram por todo um ciclo de nascimento, popularidade, decadência e morte.

O que a Microsoft está vendo é o chamado mundo pós-PC, e a forma do Windows sobreviver nele é deixar de ser um sistema operacional careta de desktop e se tornar parte da vida do usuário. NINGUÉM fala “vou pro ipad”, “vou pro Smartphone”. Você vai fazer alguma coisa que por acaso demanda um desses equipamentos. O novo paradigma do Windows 8 é ser um desses equipamentos.

Vamos a algumas observações durante o encontro:

windows8-2

Interface

Indo direto ao assunto: Meu grande questionamento da interface ex-metro era ela ser essencialmente toque, e mesmo com monitores touch não seria nada bom, esticar a mão eventualmente tudo bem mas todo o tempo é cansativo demais.

O que vi foi um refinamento do mouse, agora tudo que se faz com Touch se faz com mouse, Gestos como deslizar o dedo de fora para dentro da tela, o que invoca o menu, são traduzidos por jogar o mouse pro canto, igual OSX e Windows já fazem, quando a taskbar (ou dock, no caso do Mac) estão ocultos.

Deslizar a tela se faz com a rodinha do mouse. Sim, o Windows 8 é essencialmente horizontal. Isso aparece inclusive em sites, quando o browser detecta paginação e integra na interface.

A mudança é mais profunda que isso, entretanto. A Microsoft está oferecendo ao usuário do desktop uma experiência semelhante à dos tablets, no quesito foco. Hoje a vida no desktop é uma eterna distração. Temos milhões de janelas, popups, widgets e outras formas de distração.

No tablet nos condicionamos a fazer uma coisa de cada vez, mesmo alternando entre aplicações, nunca tentamos assoviar e chupar cana.

O Windows 8 leva isso para o desktop, e pode ser uma ENORME revolução ou um ENORME fracasso. SE der certo, afetará mais positivamente a produtividade do que se removerem todos os joguinhos do Windows.

O Melhor de Dois Mundos

Uma grande crítica que eu fazia ao Windows 8 era ter que ficar alternando entre a interface ex-metro e a tradicional, mas como Robin demonstrou, é possível manter as duas, ao mesmo tempo, se você usar dois monitores, algo que recomendo MUITO.

Isso resolverá um grande problema: Organizar e achar os programas. Meu menu Iniciar e NADA é a mesma coisa. Encher o desktop de ícones não adianta. Primeiro, fica horrível parece uma penteadeira de dama que troca favores por dinheiro. Segundo, fica sempre em background. Terceiro: procurar ícones é um saco. Usando as telhas do Windows 8, incluindo o mega-zoom-out que mostra todos os seus grupos ao mesmo tempo, vou pela primeira vez saber que tenho alguns programas antes de baixar de novo e descobrir na hora de instalar.

Orientado a Pessoas, não Objetos

humanbeingsO Windows 8, assim como o Windows Phone 8 é voltado para pessoas, uma espécie de “Linux for Human Beings”, onde por Linux entenda-se Windows e por Human Beings entenda-se gente que é feliz sem saber recompilar kernel.

Um bom exemplo foi demonstrado com a integração entre contatos de várias redes sociais. De dentro de qualquer programa Windows 8 você pode interagir com as pessoas, sem sobreposição e duplicação. Ele automagicamente identifica as pessoas nas várias redes, e consolida tudo em um contato único.

Outra evolução linda de um velho conceito: Nos velhos tempos tínhamos o clipboard, que é excelente mas é uma coisa solta. Agora é possível de dentro de uma aplicação enviar dados (cacófato proposital) para outra. Edito uma imagem e de dentro do editor mando abrir no editor de textos, por exemplo.

Multiusuário? Não, Multicomputador

O Windows 8 permite que você mantenha login em 10 máquinas diferentes. Essas máquinas ficarão sincronizadas, através da Nuvem, e até mudanças de avatar e background do desktop são replicadas. Imagine, seu PC em casa e no trabalho, customizados de acordo com suas preferências. Nunca mais aquela frustração de ter esquecido de salvar um documento no pendrive, e ter que começar do zero o relatório, na noite de sexta.

Imagine a facilidade do iPad/iPhone, tudo sincronizado, mas entre desktops. Transparente e invisível (soa estranho, né?) ao usuário. Apenas funciona.

O Hardware

DSC06393

Robin fez as demonstrações em um daqueles tablets que a Microsoft distribuiu durante o anúncio do Windows 8. Ela repetiu várias vezes que era um hardware Windows 7, mas não fez diferença. O negócio é muito fluído, suave. Naquele hardware teoricamente ultrapassado o Windows 8 Full rodava de forma absolutamente elegante. Ela alternava entre touch e mouse/teclado, colocando o tablet em um dock, e não havia conflito ou janelinha irritante de aviso. De novo, apenas funciona.

Um tablet, rodando um sistema operacional desktop, com performance invejável. (ao menos invejável para meu Athlon II X2)

Aproveitei para perguntar algo óbvio mas que nunca havia visto: Sim, ele funciona na vertical também, e é delicioso acessar sites em um tablet grande com uma tela vertical.

O Surface

A pergunta mais óbvia do mundo era quando sairia o Surface, o ultrabook killer da Microsoft. Robin jura que não sabe, e dada a compartimentalização dentro da Microsoft, não duvido. No Brasil, ninguém sabe também. Com o Windows Phone foi a mesma coisa. Por meses a base instalada se resumia a alguns funcionários da Microsoft Brasil. Do nada, pipocaram aparelhos nas lojas.

No caso do Surface tenho menos esperanças. Algo me diz que ele não sairá barato, e no Brasil competirá diretamente com notebooks positivo e tablets xing-ling. Tenho medo –e baseio isso apenas em auto-FUD- que ele sequer seja lançado por aqui.

O Incentivo da Migração

Como o Ano do Linux só será YEAR(NOW())+1, e o Windows 8 será lançado em 2012, o inimigo dele é outro. É o pior inimigo que ele poderia ter; o Windows 7.

Tem muito, muito tempo que a Microsoft não lança nada tão redondo quanto o 7. Tenho um netbook Asus EeePC com 2GB de RAM usando o 7 desde o lançamento. Está emprestado, e funcionando redondinho. Só reformatei minha máquina para enfiar o 7 64Bits, e isso tem 13 meses.

Todos os incentivos clássicos de migração não me atraem. Nada de “mais rápido”, “mais seguro”, essas coisas. Até a apresentação eu sequer estava cogitando migrar no lançamento. O que me convenceu foi algo muito mais subjetivo: A mudança de paradigma na forma de interagir com as aplicações.

Acho que meu jeito dispersivo procrastinador pode se beneficiar enormemente do foco que o Windows 8 dá à tarefa vigente.

IMG_2828

Terminal de checkin da TAM no Santos Dumont. Esse é o inimigo do Windows 8. E do 7.

O problema é que isso é uma visão totalmente pessoal, e a enorme maioria das pessoas não tem esse problema e/ou essa visão. Ainda há gente satisfeita com o XP, que dirá migrar para um sistema completamente novo e com uma interface alienígena e intimidadora, como toda mudança.

Prevejo que no Brasil pode acontecer com o Windows 8 o mesmo que acontece com o Linux: Gente dando ataques de pelanca e chamando o vizinho que entende de computador para tirar “aquele troço” do PC e instalar um Windows piratex. Microsoft sabotando a Microsoft. Mais Kafka impossível.

Por outro lado, pode ser que antes do lançamento surja uma imensa campanha publicitária, mostrando o Windows 8, criando interesse, passando o caminho das pedras. A Apple fez isso com o iPhone, e quando todo mundo pegou um pela primeira vez, já tínhamos visto tantos filme de demonstração que achamos o iPhone natural e intuitivo.

Vale o Risco?

Não é questão nem de perguntar isso, em verdade a Microsoft não tem opção. o plano de Conquista Global dela envolve estar em todas as telas, e se não fizessem nada, o Windows iria simplesmente se tornar algo acessório. Virariam no desktop o que o Linux é no servidor: Dominante, excelente mas sem charme nenhum. As tarefas legais seriam feitas em tablets e smartphones, e a parte chata, no PC.

Com o Windows 8 o usuário terá uma plataforma elegante, onde executará de forma confortável muito do que está habituado a fazer no tablet e no celular. Mantendo boa parte da experiência de uso dessas plataformas móveis. 

Resta saber: Esse usuário é o usuário médio americano, europeu? Brasileiro? Será que a Microsoft vai alienar toda uma base de usuários em prol de um futuro que não chegou para a maior parte deles?

Não sei, realmente não sei. Steve Ballmer diz que o Windows 8 é o lançamento mais arriscado da história da Microsoft. Concordo, assim como concordo que ninguém chega a lugar nenhum sem sair de sua zona de conforto. A Microsoft quer um lugar no futuro, e ao invés de tentar adivinhar qual lugar é esse, seguiu o conselho de Alan Kay:

A melhor forma de prever o futuro é inventando-o

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • “O Windows 8 permite que você mantenha login em 10 máquinas diferentes. Essas máquinas ficarão sincronizadas, através da Nuvem, e até mudanças de avatar e background do desktop são replicadas. Imagine, seu PC em casa e no trabalho, customizados de acordo com suas preferências.”

    Inovador.

    • André Kittler

      É dificil uma empresa vir com um monte de “Windows to Go” em um sistema apenas. Na real, praticamente tudo em tecnologia é evolução de idéias existentes.
      O detalhe é fazer isso em um sistema que pessoas realmente usam, não apenas em nicho.

    • E permite vários users no mesmo hardware.. O iPad da minha esposa é inútil para mim 🙁

    • O administrador da empresa vai amar… 😉

  • Xultz

    Eu realmente queria acreditar em tudo isto. Não digo que o artigo seja mentiroso, longe disso, mas a gente só sabe se o carro é bom depois de colocar ele na estrada. E conhecendo a MS há décadas, há mais que motivos prá não acreditar na propaganda. Espero de verdade estar enganado e que o W8 seja inovador, precisamos disso.

    • Retirou as palavras de minha boca.

      • Eu acho interessante esse tipo de comentário. É justamente o que criticam em usuários de linux!

    • Baixa o sistema e instala. Em 30 minutos você está com ele.

    • bruno Alves

      As pessoas tem medo de tentarem algo novo, querem ficar sempre na zona de conforto.

  • luizalbertotj

    Como sempre, excelente texto. 😉 Sem mimimi por causa das mudanças e enxerga as novas possibilidades que esse novo Windows proporciona.

    • Compactuo! Cardoso, obrigado por compartilhar, com tanta clareza, a sua experiência. No aguardo dos lançamentos…

  • Bastante interessante o Artigo. Atualmente uso o OSX e iOS (MBP/iPhone/iPAd) como minha plataforma doméstica principal, enquanto na empresa uso o Windows XP Pro (Estações) e Linux (Servidores). Por conta de troca de emprego e faculdade terei de optar por uma relação mais de perto com o sistema de Redmond e o Windows 8 me parece uma boa alternativa para manter algo parecido com ecosistema que dispomos hoje com o sistema da Apple. Estou adiando a troca do meu hardware pessoal esperando a chegada dos novos produtos com o novo Windows embarcado (Ultrabooks, Tablet e Smart) que devem chegar no final do ano.

    Se a nova plataforma Windows realmente cumprir com o que ela promete será um grande avanço em relação ao que dispomos hoje, principalmente porque muita gente (aka Clientes) usa Windows nas suas diversas encarnações e definitivamente alguns Softwares provavelmente nunca sairão para o OSX (AutoCAD usável, Solid Works, Inventor e a onipresente suite Corel).

    Trabalho Eng. Mecânico/Projetista e apesar de usar Macs à quase 4 anos nunca realmente pude me livrar do Windows no uso domético (Boot Camp) por causa dessas aplicações.

    • Também uso produtos da Apple um iMac 2008 em casa e um Mac mini 2010 trabalho além de um iPhone 4S, mais não abandonei as coisas boa da Microsoft uso, o Skydrive (abilitado na promoção de 25 GB), o MSN e o Office 2011 e aguardo com ansiedade ver o lançamento do Office para o iPad, não troco de plataforma por esta já habituado com o OS X além que gosto de editar videos e no Mac de forma amadora sim porém gosto.

  • Luander Ribeiro

    Excelente artigo. Essa mudança de paradigma de multi-tarefa frenético para algo mais focado e concentrado é muito interessante. E pelo pouco que usei este novo sistema está muito rápido e polido, principalmente em recursos que já existiam no Windows 7, como por exemplo, transferencia de arquivos, gerenciador de tarefas e o windows explorer

  • Liberalino Maia

    Já estou baixando… o Ubuntu 12.10 “Quantal Quetzal” Beta-2, lançado ontem (pra testes, óbvio)! Em produção uso o Ubuntu 12.04. Engraçado que com ele nunca precisei recompilar kernel, custa o valor astronômico de ZERO REAIS e pasmem, apenas funciona!

    • Fabio Salata

      Legal cara…

    • Pronto pro desktop!

      • e enquanto isso, no mundo de ‘gente grande’, apple e microsoft fazendo sistema que te acompanha para onde você for.
        (nao estou falando de servidor)

      • Liberalino Maia

        Pronto também para Smart TVs, smartphones rodando Android e, dizem por aí, em breve num possível console da Valve.

        • Tomas Vasquez

          Mesmo não precisando recompilar o Kernel (e ser muito bom), custo a ver um instalado que não seja em meus próprios experimentos

          • Tomas,
            Você pode comprar um notebook no site da Dell Brasil com Ubuntu instalado.

            Fica a dica!

          • E mais… funcionando tudo. Inclusive o compiz (que roda com problemas em dezenas de placas de vídeo).

          • Que tem altas chances de ser adquirido só para não pagar licenças… 2 dias depois de comprado, já anda com software de tapa olho e perna de pau.

    • Querendo ou não cada um se identifica mais com um sistema. Desde o XP (que eu instalei logo que foi lançado), nunca tive tela azul. Só tive, quando minha RAM tava com problema, e eu executava algo que exigia demais (na época, UT2003).

      Já com ubuntu 10, só me dava dor de cabeça. Usava no note da empresa, e era um parto pra configurar/fazer funcionar a placa de rede, e o vídeo SEMPRE ficou meio bugado. Coisa pouca, mas me incomodava. Aí fui tentar instalar driver de vídeo correto. Deu pau, não acessava mais o sistema. Consegui acessar, mas só naquela versão. Se eu tentava ‘bootar’ um release antes, ou atualizar, dava pau.

      Quando foi pra mudar o mesmo note pra windows, foi só inserir o dvd e tudo rodou perfeito.

      • Liberalino Maia

        Comigo nem sempre tudo funcionou às mil maravilhas também não (lembrando agora daquela maldita placa de vídeo SiS 671). A melhor estratégia é adquirir hardware suportado. E os cerca de R$600,00 que se economiza com o SO, dá pra investir num hardware bacana.

        • Tipo, um notebook dell vostro, novo, não é suportado? Legaaaaaaaaaaaal, né?
          Não lembro exatamente o modelo de note que eu usava, mas era razoavelmente novo, e não era nada tão ‘simplinho’ assim. Era um bom note para as tarefas de desenvolvimento/programação que eu tinha aqui no trabalho.

          Além de que, você não pode dizer ‘simplesmente funciona’, se antes de comprar o equipamento, você tem que se preocupar se ele é suportado. Se o sistema não suporta uma grande gama de hardwares, e se propoe a ser ‘genérico’, então é um sistema ruim. Se voce tem um SO voltado só para notebooks dell, ok. Mas tem que funcionar para todos os dell com menos de 5 anos de estrada.
          Usar o mac os ou iOS como exemplos não serve, por que eles se propõe a servir apenas aos produtos da apple. E mesmo assim, ainda atualizam equipamentos ditos ‘antigos’.

          Por fim, você acha que quem compra computador nas casas bahia vai sequer saber qual a placa de vídeo e rede?

          • Pelas noticias que li, com o win8 você também terá que se preocupar em comprar um hardware compatível.

            Em meu computador o win7 não configura placa de som e de rede, nem a pau, o linux mint configura automáticamente. Por sua lógica, devo considerar o win7 um sistema ruim!

          • Dell vende notebook com Ubuntu, inclusive Vostro.

          • mas e quando não é comprado direto com o linux? Além disso, dizem que o forte do linux é a ‘personalização’. E se eu quiser Xubuntu, Arch Linux, ou outro qualquer?

    • Tem um netbook parado aqui em casa, veio que XP, que rodava bem. Depois coloquei Win7 e Ubuntu(antes do unity): o Win7 rodou melhor que o XP, e o Ubuntu rodou muito bem.

      Logo depois veio o update do unity no Ubuntu e a máquina ficou imprestável(mesmo!), e recentemente testei o Win8 e rodou tão bem quanto o 7, ou seja, muito melhor que o Ubuntu 🙁

      Sou simpático ao Linux, mas somente o Windows me permite usar apenas um SO sem precisar de outro. As coisas mudam, e se pegar uma lista de motivos para NÃO usar windows, feita no ano 2002, a maioria dos itens não vale mais pra hoje, 2012 – e isso considerando o windows 7.

      Eu acredito bastante nesse win8, principalmente depois de testá-lo. Só não sei ainda se irei adotar logo de cara num tablet ou notebook, acho que por enquanto ficarei apenas no desktop mesmo.

      • Chegou a testar agora com as novas versões do Unity… melhorou muito o desempenho em máquina antigas…

      • Eu migrei do Ubuntu pro Fedora só por causa do Unity, que ficou uma merda.
        Estou adorando o Gnome Shell. Simplesmente fantástico.

    • instale ele em um hardware sis ou em hardware mais antigos e vc vai ver o que e dor de cabeça. Alias sabia que nem drive pra gma 4000 ele tem?

      • Funciona perfeitamente na minha GMA 4500M.

        • sua serie é a antiga meu caro gma 4000 é a dos ivy bridge

      • Mostrando exceção pra impôr uma regra?

        • se vc for se informar vai saber q o linux tem mais imcompatibilidade com hardware que qualquer windows.

          Meu DV6T teve problemas com o ubuntu em fazer a vga funcionar, teve problemas com uma mobo gigabyte pra amd com video on recentemente.

          • Ninguém disse o contrário. Mas não se faz análise genérica com base em exceções.

          • excessão é algo que nao é corriqueiro. Eu trabalho a quase 20 anos com informatica e linux a mais de 10.

          • Sim, é bem isso. Exceção é algo q não é corriqueiro, que não é o normal. O normal é a compatibilidade, a exceção é a “in”.

  • Acredito que mesmo com a chegada do Windows 8 a Microsoft não vai deixar de comercializar o 7 principalmente mesmo que especificamente em alguns nichos alguns nichos

  • Fabio Salata

    Estou usando em casa e no trabalho e depois de acostumar eu estou gostando bastante!

  • PQP, o Windows 7 é tão bom, que da medo do Windows 8 ser algo como “Win Me”, akakka

    • Marcio Oliveira

      Concordo, lembro-me que computadores que vinham com windows ME parecia que só aceitavam ele, na tentativa de instalar outra coisa uma tela azul era algo praticamente que certo e a inexistência de drives um fato e olha que a proposta demonstrava-se com a mais bela das intenções….enfim…

  • Felipe Lima

    Parabens pelo post, muito bom. Só faltou alguns videos do Robins demonstrando a utilizacao do Win 8.

  • Sou programador e não há nada que não consiga fazer no Windows 8. Ferramenta de trabalho tal como as versões anteriores do Windows e excelente para as horas vagas 🙂

  • Marco Santos

    Raras vezes eu li um texto tão bem elaborado e escrito. Parabéns, Cardoso. De qualquer forma minha experiência com o Windows 8 vai ser a mesma com os tablets. Vou esperar os amigos comprarem, dar uma sacada e decidir se vale apena ou não. Ou seja, eu fiz isto com tablets, achei legal pra caramba, mas pro meu perfil de usuário, um tablet apenas não serve. Concordo com o amigo ai embaixo que disse que o Windows 7 é o único sistema em que posso resolver tudo.

    Tenho um Galaxy S3. É lindo, é rápido, é fluido, eu adoro, mas não consigo resolver tudo nele. No meu netbookzinho Asus 1015PEM, cuja única alteração até agora foi ter torcado o HD por SSD OCZ VS3, eu consigo resolver tudo que quero, ainda apresentar meus trabalhos em congressos e powerpoints do mestrado.

    Se o Windows 8 conseguir fazer isto de forma melhor e mais bonita, sem custar horrorosamente mais, eu pego, se não, Galaxy S3 e Asus 1015PEM continuarão sendo meus xodós durante muito tempo.

  • Unfear

    Quando usei o Windows Developer Preview eu odiei, mas de fato odiei por que era bem limitado e estava mais com cara de pre-alpha, o conceito é genial, mas é uma mudança radical até para os usuários mais geeks.

    Irei esperar sair os reviews, mas tenho quase certeza que irei adquirir, principalmente pelo preço e pelo que pode ser que seja nos apresentado ao futuro.

    Só sei que minha mulher não vai aderir, ela gosta de abrir milhões de janelas ao mesmo tempo.

  • JHONNE FERREIRA

    Já estou usando o Windows 8 e aposto que será um sucesso, o poblema será o jeito de usar que é novo, depois de acostumado, é melhor que o windows 7 e muito mais facil de usar, quem vai começar do zero terá maior facilidade com o windows 8, é como celular, não precisa de curso, a gente compra um e em uma semana já sabemos mexer em tudo, essa é a facilidade do windows 8

    • bruno Alves

      Falou tudo, essa semana minha irma pediu para mexe no meu pc, ela é bem leiga com computadores, e achou normal, sem falar que criei um usuario para ela apenas colocando o email dela como novo ususario, ela simplesmente ligou viu o email dela digitou a senha do email e começou a mexer. No fim acho que esse povo quer só ter o que falar!

  • Pedro Henrique Cavalcanti B. S

    Concordo com a análise do Cardoso tirando a parte dos vídeos da Apple que nunca circularam em terras tupiniquins para o público geral. Só acho que quem não deve ter gostado nada disso são os clientes corporativos da MS pois a atual estrutura empresarial não demanda muito mais do que o windows XP oferece. Seria o caso da MS voltar a lançar produtos voltados apenas para o mercado corporativo? Quem sabe um Windows 8 NT???

  • Tomas Vasquez

    “Steve Ballmer diz que o Windows 8 é o lançamento mais arriscado da história da Microsoft”. Diria inevitável

  • Enfiar goela abaixo essa interface horrível para desktop é uma das maiores demonstrações de que a microsoft está tão desesperada em evitar mais um fracasso no mercado mobile que pretende arriscar o sucesso do novo Windows.

    Isso acontece quando apressadamente querem copiar descaradamente alguém ou algum mercado que perderam o bonde (no caso o Windows Phone e o Tablet Surface respectivamente)

    Particularmente, acho que é questão de tempo e reclamação de cliente corporate… eles vão ter que mudar e voltar com a boa e velha opção de Windows Clássico.

    • Eu fico me perguntando exatamente isso! Clientes corporativos, que querem agilidade, multitarefas, etc, tem que se deparar com aquela cara “Pessoas, Loja, Fotos, Mapas” #$!@$! tem como ir direto pra tela barrinha (igual ao Win7)???

    • bruno Alves

      Medo de mudar, uma das maiores empresas do mundo, a apple, não tem medo disso. Que diga o Maps que ela lançou no IOs 6.

      • Por sinal com resultados desastrosos.

        Tim Cook fez um pronunciamento pedindo desculpas e até sugerindo usar produtos de terceiros.

        • O Maps está certo, vc que está morando no planeta errado.

  • Edmilson_Junior

    Não me senti confortável com o windows 8, sou extremamente multitarefas, estou com 3 pastas abertas, o cliente de email(contas demais), o media player tocando nerdcast e várias abas que interajo com o alt tab, a visão do todo me agrada, sou multitarefa demais para voltar a ser monotarefa.

    • Mas o WIn8 é tão multitarefa quanto qualquer outro sistema…

      • Edmilson_Junior

        Interface W8 por padrão não tem barra do iniciar, se é para usar a interface classica capada eu prefiro ficar no 7.

  • “A melhor forma de prever o futuro é inventando-o”

    Mas definitivamente essa frase não cabe a Microsoft.
    Nuvem, login múltiplo com um único usuário, sincronização, só falta terem uma loja com apps : )
    só estão correndo atrás como sempre, que por um lado é bom.

    Vai dar certo? eu acho muito minimalista para usar num PC mas se da certo pra apple e google/android
    vai que cola.

  • Vamos ao ponto de vista do usuário comum, aquele que não fica de Ahs e Ohs porque é algo novo. (aviso, comentário longo)

    Passei uma semana com o Windows 8. Não gostei. Ele claramente é um sistema operacional para tela sensível ao toque. Dizer que mover o mouse pro lado faz deslizar a tela é, ao meu ver (e tudo que estou escrevendo é baseado na minha opinião apenas) tolo. Parece que a gente ficará brincando de weeee olha rolou. weeeee, voltou. Sim, ele lembra os atalhos de movimento de mouse do Mac, que eu simplesmente detesto. São excelentes se vc tem algum problema de artrite/artrose para clicar (não, não é sarcasmo. Eu falei sério). Mas movimento lateral do punho tb acarreta em LER.

    A primeira coisa que fiz quando ele foi instalado na minha sala: comecei a instalar os programas. O Menu Iniciar é feio? Ok, pode ser, mas é discreto. As suítes, como o Office, estão dentro de uma pasta. Basta eu abrir a pasta para cegar nos atalhos. No Win8 ficam separados, com o título Microsoft Office. Quando eu cliquei no título, achando que ele ia se recolher, PÉÉÉÉ, não fez. Então eu tenho uma série de programas e eu tenho que ficar rolaaaaaaaaaando a tela? Os widgets estão na tela principal, só que em minha opinião não faz sentido, já que não ficarei olhando para aquela tela. Obviamente, programecos fazendo isso não faltará no baixaki da vida.

    O uso de dois monitores pode ser recomendado, só que pessoas comuns não comprarão dois monitores. Empresas não comprarão dois monitores para cada funcionário e eu não quero ter dois trecos com mais fios, mais tomadas, maior consumo de eletricidade para um ganho que não acompanhará a dor de cabeça.

    O SO é uma bosta? Não, de forma alguma. Rodei primeiro numa máquina de testes (um Core2Duo 2,2GHz com 2GB de RAM e placa-filha-da-mãe Gigabyte. Rodou direitinho, sem travamentos. O que foi instalado na minha sala (algo mais caprichadinho como um i5 com 6GB de RAM) está perfeito, não desliguei até agora e rodei vários programas pesadões nele. Não tenho interesse em sincronizá-lo com meu PC de casa. Se eu quero compartilhar algum arquivo, DropBox é o suficiente. Eu vejo o Win8 como o próprio Cardoso disse: a era pós-PC, onde o PC tomará outra forma.

    Eu escrevo isso usando a minha visão, mas o usuário mais chulé nem isso vai ter. Ele vai logar, abrir o IE (benzo-me) para acessar Facebook, usará (e mal) o Office, deixando que o corretor ortográfico funcione, e no máximo instalará outro tocador de vídeo, pois o Media Player…, bem, continua sendo a mesma tristeza de sempre.

    É um bom sistema, apesar das minha idiossincrasias,mas em casa ainda terei o Seven instalado por um bom tempo.

    • Tive a mesma impressão, tenho instalado num note e acho extremamente cansativo de usar no touch pad, fora que é tudo muito grande claramente desenhado pra click “dedal” e não com setinha.

      Não sei se é possível mas uma saída seria a escolha do desktop padrão em vez do Metro na instalação, tipo o Aero que vc usa se quiser, já que como sistema operacional parece bem estável e rápido.

      Prevejo vários programas no Baixaki para deixar seu Windows 8 com a cara do 7.

    • O principal problema foi esse, o quanto a gente tem que mover o ponteiro do mouse / trackpad pra conseguir o que precisa.

      Esse problema não existe numa interface de toque, mas num notebook comum fica bem ruim.

    • Discordo sobre o menu iniciar por um motivo bem simples:

      Eis os passos pra abrir um programa no menu iniciar no Vista e no 7
      1 – Clicar no menu iniciar
      2 – Clicar em Todos os Programas
      3 – Rolar até achar a pasta com o office, por exemplo
      4 – Clicar na pasta,
      5 – Clicar na aplicação

      No Windows 8 você faz;
      1 – Clica no menu iniciar
      2 – Rola
      3 – Clica no aplicativo.

      E, pessoalmente, uso o teclado pra iniciar os programas: Win + Q, digita as primeiras letras e aperta o enter. Fazia isso no Win7 também, mas no 7 enquanto você ia digitando, o sistema ia PROCURANDO os aplicativos instalados. No Win8 ele só filtra os resultados exibidos, o que permite que essa ação se dê de forma muito mais rápida. Assim consigo abrir quaisquer aplicativos aqui em menos de 3 segundos. BEM mais rápido do que jamais consegui no Win7.

      • 1 – Clica no menu iniciar
        2 – Rola
        2.1 – Rola
        2.2 – Rola
        2.3 – Rola
        2.4 – Rola
        2.5 – Rola
        2.6 – Rola
        3 – Clica no aplicativo.

        Porque, não sei o seu Windows 7, mas o meu cria atalhos para os programas mais acessados logo de cara (obviamente, jamais falaria que eu posso criar uma barra de acesso rápido, já que isso seria possível no 8 tb.

        Vocês acham que só porque vocês usam, sei lá, navegador e processador de textos, que todo mundo só precisa/se contenta com apenas 2 programas. E há MUITA diferença em rolar uma linha no menu de programs do 7 (ícones pequenos) do que no 8 (ícones para pessoas com 20 graus de miopia). Agpora, se vc puder minimizar a pasta de programas do 8, me avise. Não encontrei como, e aquilo ocupa espaço demais.

        “E, pessoalmente, uso o teclado pra iniciar os programas: Win + Q”

        Desculpe, eu nasci depois da invenção do mouse, thanx. Btw, tente Win-R, da próxima vez. 😉

        • Sorry cara, mas eu não uso “Navegador e processador de texto”, sou desenvolvedor e meu PC é minha ferramenta de trabalho.
          Quanto ao “nasci depois da invenção do mouse”, então tá né? Fazer o que se você prefere o caminho mais longo?

          • Tudo bem, tá desculpado. Além de lecionar, sou coordenador de tecnologia educacional e posso garantir que programa instalado é o que não falta aqui, onde tenho que testar uma montoeira de coisa em diferentes situações, para diferentes configurações, para diferentes tipos de usuários. É fácil para vcs mandarem, por exemplo, professores se adequarem a novas ferramentas e blábláblá, mas durante a reunião de pais, não conheço NENHUM que se preocupe se o professor sabe a diferença entre Internet Explorer e Firefox.

            Por isso, escrevi lá em cima: é a visão do usuário, não de alguém que desenvolve software pra NASA.

          • É aí é que tá o negócio. Pra a gente vai ser um choque, pra mim foi, mas já me acostumei. Mas pra o usuário comum que tá se acostumando com tablet, não tem nada mais natural do que pinar um aplicativo na homescreen e só usá-lo a partir dali.

          • Zephyro

            Se até o criador do Linux prefere usar o mouse em diversas situações em vez do teclado, por que nós não podemos?
            Eu, por exemplo, utilizo o teclado muitas vezes quando quero abrir determinado programa, mas gosto de ter opção de poder usar o mouse de modo fácil quando convir. O que a Microsoft fez foi degradar a experiência com o mouse em prol do que ela pensa ser melhor aos usuários.

            And what irritates me is how the gnome3 fanboys (and more importantly, developers), seem to never acknowledge that different people have different tastes. The whole “we know best” thing is a disease.” – Torvalds, Linus

          • Dei o exemplo das teclas de atalho pra mostrar que se o windows 8 degradou a experiência em algum sentido, melhorou em outro.

            E, sinceramente, continuo achando pela minha experiência aqui, que pra abrir um aplicativo qualquer (não um que esteja na lista de mais usados do Win7) você demora mais ou menos o mesmo tempo pra achá-lo.

            E quanto a ter opção: concordo que a opção deva existir e é por isso que a MS tinha que pensar numa interface que se adequasse aos 3 modos de interação. E eu não vejo como poderia ser melhor do que o que ficou.

          • Zephyro

            (Respondendo de novo porque parece que meu comentário ficou estacionado na moderação por conter link)

            Continua valendo o que eu disse anteriormente: A MS desprezou melhorias na usabilidade com determinado modo de interação em prol do que ela achava que seria melhor pro usuários.

            De um modo geral, e pensando no que eu chamo de “experiência desktop”, o Windows 8 está a um passo do Windows 7, mas um passo para o lado, não para frente. Penso que o Windows 8 poderia ser muito melhor elaborado, mesmo prezando pelas interfaces sensíveis ao toque.

  • Gostei dos comentários. Não sei se tem um upgrade barato ou um experimental.

  • Tenho minhas dúvidas, pois isso é tudo o que o Gnome 3* tentou fazer e falhou mi.se.ra.vel.men.te. A taxa de rejeição é altíssima, muita gente começou a usar o Unity (a Cannonical soube aproveitar bem o momento), foi pro KDE ou simplesmente ficou em fallback mode jogando todos os novos “conceitos” no lixo. Novos DEs também surgiram, como o Cinnamon, que tenho usado e gostado muito. Gnome 3*? Não, obrigado.

    A maior parte dos computadores com Linux, até bem pouco tempo atrás, rodavam Gnome 2. Ele tinha uma experiência de desktop excelente, e era extremamente estável. O Windows também tem uma boa experiência do desktop. Não pra mim, obviamente, mas a base de desktops instalados no mundo fala por si mesma. Então, para que enxertar um novo conceito num equipamento que definitivamente não foi projetado para tal?

    Muito se fala em era pós-pecês. É fato que vivemos em uma era pós-pecês, mas a verdade é que mesmo nessa era pós-pecês, os pecês continuam sendo… pecês. E o que o pessoal da Microsoft (E do Gnome), até agora não entenderam, é que o conceito de desktop e pecê ainda é bom o bastante para (arrisco dizer) 90% do mundo. Isso independe do usuário rodar Windows, Linux ou Mac OS. E na boa? Realmente torço para que não dê certo. Eu gosto dos “conceitos” de um desktop, e é por isso que eu não tenho um tablet (o smartphone para mim já é o suficiente).

    Se para rodar Windows 8 decentemente é necessário ter dois monitores (um pra interface clássica, outro pro Metro), ou simular os gestos de toque no mouse, é bem melhor comprar um tablet Windows 8 e manter o OS que tu já usa como desktop. Isso pra mim é uma falha conceitual bem séria do W8.

    É realmente muito arriscado para a Microsoft fazer um lançamento desses. Se der errado certamente terão que se voltar para o nicho corporativo (como a IBM já fez há alguns anos atrás), pois muita gente, mas MUITA gente vai passar pro lado rosa da força e adquirir um Apple. Afinal, mesmo embora que várias “features” do iOS tenham sido colocadas no Mac OS, o mesmo não deixou de ser Mac OS e oferecer uma experiência confortável ao usuário. O Think Different nunca terá feito tanto sentido.

    *me refiro ao Gnome-shell, e não ao framework GTK3 + Nautilus e cia ltda.

    • Eu tenho usado o Gnome Shell e tenho adorado. Gnome Shell + Cairo Dock fica semelhante a experiência do Mac OS.

  • bruno Alves

    Gosto da Micosoft e testei o windows 8 desde de que lançaram a versao para desenvolvedores, ela estava muito ruim, mas a versao final instalei como principal no meu computador, e estou gostando muito, para mim não teve muita diferença, é o windows 7 com mais funções. Uma das coisas mais ulteis para mim foi conseguir dividir a tela em duas, meu monitor tem de 23″ entao tenho espaço, coloco meu batepapo ao lado e continuo fazendo minhas coisas normalmente, eh tao agradavel, acho que esse recurso vai ser muito aproveitado ainda.

    Nao gosto de ficar debatendo sobre S.Os, mas na minha opinião ficar questionando um SO por que o menu ta mais feio ou que esta complicado achar programa no menu iniciar é coisa de retardado, se voce nao tem condição o suficiente para se manter seu PC organizado não é culpa do SO e sim sua.

  • sapobrothers

    Meu maior receio ainda é saber se aplicações antigas do windows – softwares abandonados ou simplesmente versões anteriores melhores que as últimas – vão poder ser instaladas nele. Se sim, serei feliz.

    • bruno Alves

      Até o ponto que sei tudo que era instalado no windows 7 pode ser instalado no windows 8

      • Ramon E. Ritter

        Até o momento todos os programas que instalei no Win8 funcionaram sem problemas. Meu único problema foi minha webcam, que apesar de funcionar no 7, não foi reconhecida pelo 8…

  • bruno Alves

    Cara divisao de tela e perfeito!

    • Felipe Lima

      coisa que HOJE no WIN 7 damos um “jeitinho”, pra deixar uma telinha do TL do Twitter ao lado da janela principal… no WIN 8 vai ficar mais fácil organizar isso!

  • O computador da minha mãe tinha um Windows 7 em inglês, daí instalei pra ela o Windows 8 RTM em português que já tinha disponível pelo msdn… Resultado foi que, mesmo o computador sendo meio antigo, é notável como o boot é bem mais rápido e a minha mãe, que nunca soube muito bem mexer com computador, está se dando super bem com a nova interface.

    • Ramon E. Ritter

      Acredito que para o usuário novo essa interface é até mais produtiva que a do Win7. Mas para aqueles que, como eu, já estão acostumados com o jeito atual de usar o computador, a produtividade cai bastante,

      Quando saiu o Office 2007 com a Ribon e com as opções em lugares totalmente diferentes, eu xingava a mão do Bill Gates a cada 5 minutos. A “desculpa” que a MS deu na época era a de que pessoas que nunca tinham usado um computador achavam a nova interface bem mais intuitiva.

      Hoje já estou acostumado com a versão 2010 e acho terrível quando preciso usar o Office 2003 na empresa. No fim das contas é tudo uma questão de acostumarmos com a mudança…

    • bruno Alves

      O mesmo aconteceu aqui em casa com minha irma. Ela acho muito bom o novo sistema, e estamos falando de uma usuaria comum.

  • “Uma penteadeira de dama que troca favores por dinheiro” esta é uma típica frase “Microsoft Brasil TM”, você esqueceu de citar a fonte, rs.

    Mas falando sério agora, esta mudança de paradigma é a mesma que aquela distribuição “Linux for Human Beings” fez quando introduziu a interface Unity, por falar nisso todas as descrições que você citou lembram muito a interface Unity da Canonical.

    Quem diria que a Microsoft copiaria a interface de uma distribuição Linux?

    Se o resultado for o mesmo que aquela distribuição Linux obteve, veremos uma adoção muito menor do que foi a do Windows Vista.

    • As semelhanças entre o Win8 e o Unity são as mesmas entre a Luciana Vendramini e um átomo de Berílio.

  • Sincronização de perfis no Windows já existe há uma década, com perfil remoto. Só não é sincronizado com a núvem, mas se você logar de casa no servidor do escritório, você fica com os principais itens do Windows sincronizados (incluindo os “Meus documentos”). Claro que isso pra usuários comuns é inacessível, mas já mostrava a tendência de multi-computador.

    Acho que essa sincronização de personalização não vai ser boa no uso casa / trabalho, pois tem gente que usa um background em casa mais “ousado” (leia-se NSFW) e não vai querer que o desktop do trabalho magicamente apareça com o mesmo papel de parede.

    E no trabalho? Os admins vão adorar ver um monte de tentativas de acesso ao Twitter e Facebook por causa da sincronização de perfis.

    • eu não vi muito sobre isso, mas não tem opção (a.k.a checkbox) pra não sincronizar o wallpaper?
      Ou mesmo o twitter e facebook?

  • Ruy Acquaviva

    Trata-se de uma muito bem escrita propaganda do Windows. Mas é só isso, propaganda.

    Perdeu a oportunidade de fazer uma resenha de verdade. Mas eu entendo, a empresa precisa dos patrocinadores.

    Só que eu prefiro que a propaganda se identifique como propaganda. E ainda acho que jornalismo é uma outra coisa.

    Fora isso tudo bem. O Cardoso escreve mesmo muito bem e mostra seu brilhantismo mesmo no texto da propaganda, embora não com o mesmo entusiasmo que nos posts de verdade.

    • acredito eu que, por isto ser um Blog e não um site de conteúdo jornalístico, os autores tem liberdade para colocar seus pontos de vista em seus textos.

      sempre gostei dos textos de todos aqui, e sei que cada um escreve da forma que melhor lhe cabe, incluindo aí o Cardoso que, gostando ou não, sempre coloca sua opinião em seus textos.

  • Parece que já surgiu uma solução interessante para sumir aquela interface de celular/tablet que mais parece a pagina da AOL em 1998 que a Microsoft insiste em colocar no desktop.

    É o Start8, da Stardock, velha conhecida, especializada em fazer programas de customização do Windows.

  • Faz mais ou menos um mês que estou usando o Windows 8. Existe uma parceria entre a MS e as universidades públicas e como sou funcionário tenho direito a uma cópia legítima do sistema (e de uma PENCA de outros produtos caros da MS).

    Posso dizer que estou BEM acostumado ao sistema já. Além de chamar os elementos de interface com o mouse, passando o bicho pelos cantos da tela, o Windows 8 tem um ÓTIMO conjunto de teclas de atalho: Win + Q mostra todos os aplicativos, e você pode começar a escrever para filtrá-los. Win + F faz o mesmo, só que para arquivos, Win + C mostra a barra Charm e por aí vai. E em todas elas você pode usar o teclado para navegar. A usabilidade tá sensacional.

    O contra do sistema, que nem vale ser chamado de contra, é a loja de apps que só tem uns 16 apps disponíveis. Depois de instalar o Evernote, e o App do Kindle, não sobrou NADA pra baixar de interessante. Mas levando em consideração que o sistema ainda não foi lançado oficialmente, já tá de bom tamanho. Espero que a partir do dia 26 de outubro a loja exploda de conteúdo bacana.

    E como adendo: meu irmão ODIOU o sistema.

    • Essas coisas são questao de costume mesmo.
      Quanto à appstore, creio que em novembro começe a ”bombar” mais.

      Quanto ao seu irmão, bem, existe windows 7, Mac OS e 2309842304 distros de linux, cada um usa o que mais lhe agrada, nao é? 😉

  • Leo_Koester

    Essa interface é linda e deve ser perfeita para um tablet (já é para smartphones). Depois de ler essa matéria instalei o Enterprise para ver como ficaria no PC e fiquei em dúvida.

    O conceito é ótimo e certamente vai encontrar pessoas que vão se habituar ao foco no que está fazendo, mas estou achando muito arriscada essa ideia de que o PC pode ser “tablet-like”, e não o contrario. Afinal, o primeiro contato com um computador tende a ser através do PC usando Windows, e o Windows 8 /NÃO É/ Windows.

    Particularmente, estou gostando, mas o Windows 7 vai dar muito problema para ele.

  • Tenho certeza que não gastam nem 2 dias pra colocar uma opção na instalação perguntando qual interface o usuário quer usar!
    Sei não, mas comigo… Win8 não vai rolar..

  • o seu ‘o normal é funcionar em tudo’ já não deu muito certo nas situações em que eu passei aqui, onde placa de video/rede (novas) não eram suportadas pelo linux.

    E de novo, num fórum de tecnologia ok voce passar esse link, mas quero ver quando alguém que comprou o notebook com win 7 nas casas bahia quiser instalar linux.

  • Rafael Flores

    Baita análise, disse tudo – consiso e preciso.