David Cage elogia liberdade dada pela Sony

dori_bey_28.08.12

A maior preocupação quando um estúdio é vendido ou fecha uma parceria de exclusividade com alguma fabricante de consoles é de que a criatividade possa ser prejudicada, com os detentores do dinheiro impondo o que pode ou não ser feito. Há uma série de casos onde isso pode ser visto claramente, mas de acordo com David Cage, presidente da Quantic Dream, não foi o que aconteceu ao se unirem à Sony. Ao ser questionado sobre o quão livres a companhia os deixou para desenvolverem seus projetos, ele disse:

Não há restrição em nada. Muitas editoras, após o sucesso do Heavy Rain, teriam dito, ‘Bem, você precisa fazer o Heavy Rain 2. Faça o que quiser, mas ele se chamará Heavy Rain 2.’ E nós nunca tivemos essa conversa com a Sony. Eles apenas perguntaram, ‘O que virá a seguir? O que você quer fazer?’ ’Bem, eu tive esta ideia, o que acham?’ ‘Sim. Parece fantástico!’

Cage então disse ter explicado o conceito do Beyond: Two Souls aos executivos da Sony, que nunca lhes pediram para mudar nada no roteiro e afirmou acreditar que um jogo desse tipo só poderia ser feito com liberdade total, por achar que o valor da experiência que ele quer passar está na sinceridade.

Por fim, o game designer declarou que queria muito contar a história presente no novo jogo e que felizmente a Sony lhe proporcionou isso, algo que segundo ele, é incrível na indústria dos games, onde ou se tem a liberdade dos desenvolvedores indies, mas sem recursos financeiros para aproveitá-la, ou você trabalha em um jogo de alto custo, mas sem poder fazer o que quiser.

[via Gamasutra]

Relacionados: , ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar
  • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

    Realmente, uma coisa rara. Se a Quantic Dreams fosse da EA o papo do “não interessa, tem que se chamar Heavy Rain 2” bem poderia ser verdade :)