Nexon: Ou consoles adotam F2P, ou serão extintos

dori_mapl_21.08.12

O modelo de negócios onde uma empresa oferece um jogo gratuitamente e tenta tirar seu lucro das microtransações ainda é um grande mistério para muita gente, mas Daniel Kim, CEO da Nexon America, tem uma opinião mais concreta sobre o assunto.

As desenvolvedoras para console estão começando a perceber que a menos que façam algumas acomodações ou pensem em mudar seu próprio modelo de negócios irão rapidamente seguir o caminho dos dinossauros… É realmente difícil bater o Free-to-Play como oferta.

Os caras dos consoles também estão percebendo isso, mas eles também tem o desafio por terem um vasto interesse no negócio de vendas física. Sei que é difícil para eles simplesmente abrirem mão de centenas de milhões de dólares em vendas para dizer ‘Ok, nós adotaremos o Free-to-Play e repousaremos aqui’, porque isso irritará muitas pessoas que já possuem uma relação de negócios com eles.

Estaria o Sr. Kim apenas defendendo o seu peixe, afinal a Nexon tem conquistado uma boa quantidade de consumidores com jogos F2P, como o Maple Story e o Combat Arms, ou seria mesmo esse o futuro dos games? O fato é que gigantes como a EA e a Crytek já estão apostando nesse modelo, mas por enquanto, salvo raras exceções, os consoles seguem ignorando games assim.

[via GamesIndustry]

Relacionados: ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar
  • Caio Luz

    2 coisas que eu odeio: F2P e jogos da nexon!

  • http://www.facebook.com/people/João-Rodrigues/100000816185189 João Rodrigues

    Ainda não vi um F2P que fosse digno de ser rankeado com game B.

    • http://www.vidadegamer.com.br/ Dori Prata

      Ótimos jogos que se tornaram F2P depois existem aos montes.

      • http://www.facebook.com/people/João-Rodrigues/100000816185189 João Rodrigues

        Sim, sei disso. Mas quase todos são MMORPG ou afins e na maioria das vezes caíram muito no quesito qualidade. E me referi a games feitos para serem F2P. 😉

        • http://www.facebook.com/people/Sebastiao-Coelho/100002460004507 Sebastiao Coelho

          no caso de jogo normal que virou F2P e que não é MMORPG há o Team Fortress 2. E nos que foram criados já como F2P há o Lol e o futuro DOTA2.

          O caso é que o formato é viável e, se depender da produtora, pode ter qualidade. Tambem não acho que esse será o futuro ou que vai dominar a industria mas sim que vai tomar um bom pedaço dela (já pegou nos PCs).

    • http://twitter.com/Darkus Darkus

      Hellgate Global?
      Esse vale!

  • Victor Campos

    Juro que não vejo por que a indústria deva seguir o modelo F2P. Parece tudo um grande hype apenas.

  • marcos.petropolis

    F2P não é hype, chegou pra ficar.Contudo, acho que não será a única forma de negócios ou de se jogar.Acho que ele pode e deve caminhar junto com o pago.Existe um certo preconceito de uma minoria contra os Indie e os F2P por conta de gráficos, física e outros detalhes que são relativos pra um jogo ter qualidade , mas que alimenta esse preconceito.Ou seja produção barata = jogo ruim; produção cara = jogo bom.Mas acho que não é bem assim.Mas também reconheço que uma produção cara pode incluir qualidades extras á um jogo.Enfim, vejo os dois modelos convivendo justos porque simplesmente são diferentes.

    • http://alexkoti.com Alex Koti

      Concordo sobre coexistirem os dois modelos. O grande problema é que o pessoal sempre pensa em substituição, por isso usam termos como dinossauros e evolução. Só parar pra pensar no absurdo que seria acordar amanhã e não existirem mais jogos single player, apenas os multiplayer online #pesadelo

  • http://www.facebook.com/jeanubiratan Jean Ubiratan

    Eu pessoalmente acredito que isso será um padrão pois hoje é cada vez mais comum comprarmos um jogo, seja baratinho no Steam ou um pouco mais caro em lojas do exterior e descobrirmos que o jogo é uma bela porcaria, muitos não tem demos ou os demos são bons mas o restante do jogo não. Com o sistema F2P pode-se ter menos jogos mais bem feitos, pois os ganhos das empresas serão em cima dos valores gastos POSTERIORMENTE com os jogos, então caso a desenvolvedora não crie um jogo que valha a pena, ninguém irá gastar com ele. Imagine um Street Fighter onde tenhamos apenas um ryu e ken e você pode comprar personagens e cenários adicionais para jogar online, nesse caso vou enfrentar um carinha que comprou um Guile por exemplo, e eu vou achar muito legal de jogar com o Guile então vou lá e compro um guile para eu jogar online. Pessoalmente me sentiria menos lesado do que comprar o Super Street Fighter IV para PS3 e menos de um mês depois lançarem o Super Street Fighter IV Arcade Edition (Aconteceu comigo), a Capcom poderia apenas lançar lutadores e golpes e você vai comprando conforme achar melhor… Localmente poderia ter uns jogadores adicionais para testar…. apenas viajando na maionese na segunda de manhã.

    abs,

  • Well Dias

    A Nexon é campeã em oferecer péssimos serviços. Jogos bugados e cheios de cheaters e hacks. Se for para seguir este modelo, então dispenso os F2P.

  • Pingback: Crytek clama por F2P nos consoles – Meio Bit()