Ubisoft: Pirataria no PC atinge 95% e F2P é a solução

dori_annoi_22.08.12

Durante a Gamescom a Ubisoft anunciou que mais algumas de suas franquias receberão capítulos Free-to-Play, sendo assim marcas como Ghost Recon ganharão a companhia de novos Anno e dois Might & Magics, mostrando que a companhia está dedicada a investir pesado nesse modelo de negócios e um dos motivos seria o combate à pirataria.

Queremos aumentar bastante o mercado de PC e o F2P é a maneira de se fazer isso,” declarou Yves Guillemot, CEO da produtora. “A vantagem do F2P é que você pode conseguir lucro em nações onde não conseguia antes – lugares onde nossos produtos eram jogados, mas não comprados. Agora com o F2P nós ganhamos receita, o que ajuda as marcas a durarem mais.

É uma maneira de nos aproximarmos dos consumidores, de termos certeza de que teremos uma receita. No PC apenas algo entre 5 e 7% dos jogadores pagam pelo F2P, mas normalmente nesta plataforma apenas a mesma quantidade de pessoas pagam de qualquer maneira, o resto são jogos pirateados. A receita que temos das pessoas que jogam é mais a longo prazo, então nós podemos continuar trazendo conteúdo.

Ok, eu sou uma pessoa que critica duramente a pirataria, mas custo a acreditar na proporção mencionada pelo executivo. Em países como o nosso a quantidade de jogos piratas sem dúvida ainda é muito alta, mas com a distribuição digital esse problema me parece ter diminuído consideravelmente e as constantes promoções feitas por serviços como o Steam ajudou muita gente a legalizar suas cópias e por isso acho que 95% é um tanto exagerado.

De qualquer forma, os jogos Free-to-Play podem mesmo ser uma ótima solução para a pirataria, mas continuo querendo ver como eles farão para agradar aqueles que gostam das campanhas multiplayer e penso que ainda há um longo caminho até esse modelo substituir o tradicional, se é que conseguirá fazer isso.

[via GamesIndustry]

Relacionados: , ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar
  • Queria saber de onde a Ubisoft tira esse dado de 95% de pirataria. Deve ser da bunda deles.

  • Chora Ubisoft! Larga essa porcaria de UPlay e use apenas o sistema da Steam, seus bundões.

  • André Benevides

    A CDProjekt n fala isso em relação ao The Witcher, isso é papo de quem n quer se esforçar para conquistar mercado. E arruma qualquer desculpa. até hj jogos F2P ainda n convenceram, e servem para dar um gosto do jogo. Só isso.

  • cquintela

    Nossa, 90% (também gosto de estatísticas tiradas do nada Ubisoft) dos jogos pra PC com opção pra multiplayer online (não dá pra jogar nos servers oficiais com jogo pirata), e com o crescente aumento de jogadores onlines, acho estranho ter essa margem tão grande de pirataria…

    Vide os inúmeors MMOs pagos por aí, só eles já quebrariam essa margem de 95%.

  • Carlos Gasparetto

    Não sei de onde saiu de fato esses 95%. Conheço bastante gente que deixou de piratear depois do Steam, GoG e outros. Com preço baixo, não tem pq piratear. É mta chinelagem não pagar pelos jogos.

  • Não me agrada esse F2P isso sempre interfere no gameplay/balanço e na experiência do jogo, pois sempre parece incompleta, a não ser que você resolva abrir o bolso.

    A indústria de games fatura mais que o cinema e eles estão preocupados com pirataria? Isso é simples, façam jogos melhores, jogos inovadores, não fiquem criando mais do mesmo, jogos meia boca, ou ainda jogos feitos a partir de filmes que são mais ferramenta de marketing e propaganda do que necessariamente entretenimento. É preguiça de inovar isso sim. Não faltam reclamações da falta de inovação na indústria.

    Por exemplo, a IA dos Games não trouxe nada de novo nos últimos 10 anos, a mecânica, o princípio é o mesmo ainda. Gráficos evoluem isso é ótimo do ponto de vista artístico, mas games são a interseção entre arte e tecnologia. Não adianta só ter arte se a mecânica falha. Jogos propõe interatividade, a última inovação foi a destruição dos ambientes como em Battlefield Bad Company e BF3. Um dos games que trouxe uma interatividade que gostei muito foi Deus Ex Human Revolutions, mecânica boa com ótimo gameplay.

    ok ok ok, fui longe, voltando ao tópico 😛

    Jogos mais pirateados geralmente são aqueles de baixa qualidade. Títulos que eu conheço a qualidade eu compro, Assassins Creed da própria Ubisoft é um deles, posso dizer que é o meu favorito inclusive.

    • Não, os jogos mais pirateados não são os de pior qualidade, são os mais famosos e o fato da indústria de games faturar mais do que a de cinema não significa que ela não deva se preocupar com a pirataria.

  • Carlos Magno GA

    95% só se ele considerar as 3000 roms de snes que todo mundo baixou no torrent mas só joga Chrono Trigger, Super Mario, Final Fantasy, Zelda 3 e Donkey Kong. Isso SE joga.

    Eu já tive muitos jogos piratas, mas hoje em dia meus jogos ou estão no Steam, na estante ou naquela droga de Origin. Exceto as Roms de Snes.

  • NandoCanedo

    Free-to-Play, em geral são jogos multiplayer. Prefiro 1000x jogos single-player. Eu vou entrar nas estatísticas dos que simplesmente não gostaram dos jogos F2P deles. Essa estatística eles não vão publicar.

    E aqui vai outra estatística tirada do nada pra Ubisoft, 98% não aprovam o DRM sempre-online usado nos jogos de vocês!

  • 95% MY ASS!!! A Ubisoft acabou de soltar um vídeo no seu canal do YouTube anunciando o I Am Alive para PC. Agora eu pergunto: se o PC é uma plataforma tão crítica assim, qual é o interesse dela em lançar uma franquia nova para PC? Heim?

    Como já deve ser conhecido de alguns, na época do desenvolvimento do jogo foi cogitado que sairia uma versão para PC, mas foi abortada e saiu apenas nos consoles. Mas olha ele aí. Como é que a Ubisoft justifica isso? Eu até entendo ela ainda lançar franquias que já saíram e foram sucesso no PC, tal como Far Cry, Splinter Cell e Assassin’s Creed. Mas uma franquia nova? Mesma coisa com o Rayman Origins, que a princípio não sairia para PC, mas não demorou 1 ano e logo soltaram a versão no Steam. Mesma coisa com o I Am Alive, agora.

    http://www. youtube. com/watch?v=aQHtJzhgjLc

  • Pingback: Ubisoft diz como melhorar imagem dos F2P – Meio Bit()