Adobe lança versão final do Flash Player 9 para Linux

O novo Flash Player 9 tem novidades como o ActionScript Virtual Machine (AVM2) e segundo a empresa, ele aumenta o desempenho de execução em 10 vezes. Esse era um dos maiores requisitos por desenvolvedores sérios da plataforma.

O código-fonte dessa máquina virtual otimizida foi fornecido para a Mozilla Foundation, que através de um projeto chamado Tamarin, irá incorporar essa máquina virtual ao Firefox. Isso significa que o JavaScript como conhecemos hoje cederá o lugar para algo muito melhor, compilado, performático e, finalmente, um depurador decente.

Além disso, o Flash pode ser gerado através do Flex 2 SDK e Flex Data Services, APIs de desenvolvimento gratuitas, fornecidas pela Adobe. Eles geram Flash a partir de uma linguagem de marcação baseada em XML.

Há ainda uma versão separada para desenvolvedores, com depurador, que pode ser encontrada aqui.

A Adobe acertou em cheio quando ouviu as maiores reclamações dos desenvolvedores envolvidos com Flash: performance e ferramentas. Investindo cada vez mais nesses dois aspectos e não deixando de lado as funcionalidades multimídia para os designers, o futuro da plataforma parece garantido.

Quem desenvolve em Flash adora 5 coisas:
1. Não há HTML para se preocupar e todo mundo vê a mesma coisa, não importa o browser ou sistema operacional;
2. Pode-se usar CSS para alterar algumas características da exibição;
3. Linguagem de script interna, mais poderosa que o JavaScript, mas compatível com o mesmo e capaz de se conectar com middleware (PHP, JSP, ASP, .Net, etc);
4. Player pequeno;
5. Streaming de vídeo e som de boa qualidade, interação e animação vetorial.

Fonte: Adobe

  • Agora falta portarem o mesmo pra browsers de celular e pronto, acabmos de entrar num mundo utópico =)

    Visitem mais esse blog
    (Também tenho que divulgar né?)

  • wmitsuda

    Pois é, foi decepcionante quando descobri que o flash player que veio no meu Nokia E61 é baseado na versão 7.0.