Digital Drops Blog de Brinquedo

Seu cérebro sabe que aquilo é altamente calórico

Por em 25 de outubro de 2014

brain-food1

Alguém aí já se perguntou como é determinado o valor calórico dos alimentos?

Era uma dúvida que eu sempre tive até que um dia, lá em meados do quinto ano da faculdade de química, tivemos essa prática laboratorial em uma disciplina de química analítica. Sabemos que os alimentos são compostos de várias classes alimentícias, como carboidratos, fibras (um tipo de carboidrato não digerível por nós), lipídios e proteínas.

Cada uma dessas classes contribui com uma informação calórica diferente. A ideia é, então, separá-las e calcular a quantidade que há de cada uma. Depois de diversos processos de extração e algumas reações, determinamos as quantidades de cada espécie e com alguns cálculos simples conseguimos encontrar o valor calórico de um alimento.

É importante lembrar que as calorias não estão relacionadas se um alimento é ou não saudável, e sim com a quantidade de energia que ele consegue fornecer, que é equivalente ao calor trocado quando a massa de um grama de água passa de 14,5 °C para 15,5 °C. Mas é fato que alimentos industrializados, mais saborosos e aquela batata frita são altamente calóricos.

Desta vez, foi realizado um estudo sobre o que seu cérebro acha disso tudo. Quando você olha um cardápio ou anda entre os corredores em um supermercado, você pode estar pensando em como é o sabor de cada alimento, se ele é nutritivo, ou você pode apenas estar tentando decidir o que você pode comer que combine com seu humor naquele momento. No entanto, uma nova pesquisa com neuroimagens sugere que, enquanto você está pensando todas essas coisas, um “contador de calorias interno” no seu cérebro também está avaliando cada alimento com base na sua densidade calórica. Os resultados foram publicados na Psychological Science, uma revista da Association for Psychological Science.
continue lendo

emMedicina Produtividade

Samsung abre caminho para memórias RAM DDR4 de 128 GB

Por em 24 de outubro de 2014

samsung-ddr4-module-8gb-chips-001

A Samsung está trabalhando com memórias DDR4 desde o ano passado, mas agora está entrando na reta decisiva: os módulos de 32 GB com memórias de 8 Gb, com processo de litografia de 20 nanômetros enfim entraram na fase de produção em massa, mas por enquanto a novidade é destinada apenas a clientes corporativos.

continue lendo

emHardware

Agora é oficial: Fire Phone é um fracasso retumbante

Por em 24 de outubro de 2014

Hindenburg disaster

Jeff Bezos bem que tentou, mas não teve jeito. O Fire Phone, o primeiro smartphone da Amazon e que basicamente é um grande botão de “compre agora” no bolso do consumidor flopou de uma forma espetacular: depois de não empolgar ninguém e ter sido duramente criticado, o aparelho causou um prejuízo de US$ 170 milhões à gigante das vendas online.

continue lendo

emComputação móvel Hardware Mercado Planeta Sem Fio

Com pacote com 32 jogos, 3D Realms volta dos mortos

Por em 24 de outubro de 2014

3D-Realms-Anthology

Atuando sempre como uma subsidiária da Apogee Software e com um portfólio repleto de jogos que marcaram época, a 3D Realms é certamente um dos estúdio mais emblemáticos da indústria e depois de ter passado por bastante dificuldades e ter sido dada como morta, a empresa dá o primeiro passo para tentar se reerguer.

Tendo fechado as portas em 2009, quando os diretos sobre o problemático Duke Nukem Forever foram vendidos, alguns dos nomes que ajudaram a criar a desenvolvedora, como Scott Miller e Bryan Turner, resolveram se unir novamente e junto com outros profissionais revelaram que pretendem criar novos jogos.

continue lendo

emComputadores Games Museu

Receita passa a taxar serviços de hospedagem no exterior

Por em 24 de outubro de 2014

datacenter

E mais uma vez a Receita Federal faz das suas. Nós sabemos que o mercado de tecnologia brasileiro, especificamente serviços de hospedagem de dados não são muito baratos por aqui e vira e mexe costumam dar problema. Pode não representar muita diferença para uma pessoa física, mas para uma grande empresa contar com datacentes de companhias como IBM, SAP, Oracle, Amazon, Microsoft e outras pode significar uma economia muito grande no fim do mês.

Pois bem, isso acabou. De olho nesse crescente mercado e motivada por pressão das empresas locais, a Receita Federal irá através do Ato Declaratório nº 7, publicado no Diário Oficial da União na última sexta-feira cobrar impostos e taxas das empresas que possuem contratos de serviços de armazenamento e processamento de dados com provedores no exterior. E a conta não sairá barata.

continue lendo

emComputação móvel Hardware Internet Software Web 2.0

SciCast #52 — Aviões

Por em 24 de outubro de 2014

SciCast_MP3Cover

Por centenas de anos várias pessoas acreditaram que poderiam voar se usassem asas, colocando-as nos braços e balançando-os como fazem pássaros e morcegos. Naturalmente todas as tentativas de permanecer no ar usando tais apetrechos falharam, já que Newton não perdoa, com diversas fatalidades ocorrendo nestas tentativas mal sucedidas de alçar voo, já que Darwin também não.

Muitas pessoas acreditavam que voar fosse impossível e que era um poder além da capacidade humana. Mas o homem nunca desistiu de sua busca e graças a ciência (YEAH SCIENCE!) aparelhos capazes de transportar pessoas foram criados e é sobre esses aparelhos, em especial do avião, que vamos falar no episódio de hoje.

Acompanhe o bate papo de nossos pilotos, entre uma ponte área e outra, saiba o que é mais caro que pipoca de cinema, quem é culpado quando um avião cai, o que fazer em caso de despressurização e como aquela porcaria de helicóptero voa. Viaje com Lito (Aviões e Música) e Cardoso na cabine de comando, além de nossa equipe de bordo altamente treinada: Jorge, Ronaldo, Marcelo e Bryan e escolha seu lanche (as opções são sim e não).

Estou com um mau pressentimento…

Assine o feed do SciCast e visite o hotsite para mais informações e links relacionados.

Foto da Vitrine: Pablo Rigamonti.

emBrasil Destaques Podcast SciCast

MasterCard oferece Wi-Fi free para turistas no Reino Unido

Por em 23 de outubro de 2014

london-wi-fi-mastercard-cloud-free-001

Conseguir conexão gratuita em locais públicos não é lá algo muito difundido por aí, embora tenhamos alguns exemplos no Brasil como acesso livre na Estação Sé do metrô de São Paulo, bem como em aeroportos. Lá fora a situação é semelhante, o que afeta principalmente turistas que não estão tão a fim de comprar pacotes de dados para uma estadia curta. Como proceder.

Aí entra a MasterCard, que está oferecendo acesso irrestrito no Reino Unido para seus clientes.

continue lendo

emComputação móvel Destaques Internet Planeta Sem Fio Web 2.0