Digital Drops Blog de Brinquedo

O restaurante que não possui garçons e caixas, só iPads

Por em 2 de setembro de 2015 - Nenhum Comentário

eatsa-001

Esse é o tipo de coisa que eu imagino dar muito certo no Japão, que possui toda uma cultura de máquinas que vendem de tudo: a Eatsa, uma nova cadeia de restaurantes que serve refeições prontas e saudáveis (é o que dizem) inova apresentando sua primeira unidade totalmente automatizada.

Sem garçons, sem caixas. Só você e a comida, e um monte de iPads.

continue lendo

emApple e Mac Planeta Sem Fio

Séries da Netflix estão incentivando o público americano a aceitar as legendas

Por em 2 de setembro de 2015 - Nenhum Comentário

NarcosBannerLegenda636

Há algumas semanas a Netflix passou a exibir a série Narcos, na qual Wagner Moura interpreta o traficante Pablo Escobar, que criou literalmente um cartel bilionário na Colômbia. Se você ainda não assistiu, assista.

E se acha que o enredo sensacional, a fotografia interessantíssima e o ator brasileiro não são atrativos suficientes para despertar sua curiosidade, saiba que a série ainda conta com uma excelente trilha sonora e o ator chileno Pedro Pascal, o príncipe Oberyn Martel de Game of Thrones, da HBO. Pois é, quando eu descobri quem era, minha cabeça implodiu. Digo… bom… continuando…

continue lendo

emIndústria Televisão Vídeo

Amazon Prime Video ganha visualização offline. Já Netflix…

Por em 2 de setembro de 2015 - 1 Comentário
mozart-in-the-jungle

Mozart in the Jungle, série exclusiva da Amazon que agora os assinantes da Prime poderão assistir em qualquer lugar, a qualquer hora

Embora muita gente goste da Netflix, principalmente pela praticidade de assistir o que você quiser a qualquer momento e poder sincronizar com todos os seus dispositivos, é fato que nem todo mundo possui uma conexão decente que viabilize streaming, ou gostaria de consumir filmes em séries em trânsito, preferencialmente sem ter que gastar sua franquia de dados.

A Amazon sabe que há uma parcela do público que gostaria disso, e pensando neles e também em botar fogo no mercado introduziu em seu serviço de streaming a possibilidade de seus assinantes poderem baixar o conteúdo para seus aparelhos, independente de qual seja.

continue lendo

emSoftware Televisão Web 2.0

Da Internet Das Coisas Inseguras

Por em 2 de setembro de 2015 - Nenhum Comentário

Post publieditorial

internet_das_coisas_publi-ptc

Nos primórdios da microInformática ninguém falava de redes. Computadores eram entidades isoladas, e por isso mesmo extremamente seguros. Era preciso acesso físico ao equipamento, nenhum sistema operacional tinha senha, não fazia sentido.

A segurança era a porta, os guardas, a cerca em volta do complexo onde o computador ficava. Aquela cena no Missão Impossível onde Tom Cruise tem que invadir a sede da agência pois o computador não tinha conexões de rede representa bem a realidade dos tempos antigos, mas ela é ridícula.

Como é ridícula a notícia de que a Rússia iria se proteger de hackers utilizando máquinas de escrever e arquivos de papel. Isso, claro, foi pura propaganda, mas se fosse real os inimigos adorariam, pois cumpriria o objetivo de qualquer sabotagem: inutilizar a capacidade do inimigo de utilizar recursos ou informações.

Antigamente um computador com rede era um luxo. Conexões entre computadores remotos era uma eventualidade. Linhas dedicadas tornavam desnecessárias medidas de precaução.

Hoje a situação se inverteu, um computador sem internet é algo inútil. Precisamos estar conectados, e não só nossos computadores, mas nossos tablets, telefones, televisões e relógios.

A chamada Internet das Coisas é uma definição arbitrária de algo que surgiu no exato momento em que a primeira conexão Internet foi fechada. Coisas na Internet não faltam, o CU-SeeMe (por favor, se pronuncia SIII IUL SIII MIII) foi criado no longínquo ano de 1992 na Universidade Cornell pra monitorar uma cafeteira que ficava em outro andar.

continue lendo

emPublieditorial

Surgem informações quentes sobre o futuro Nexus da LG

Por em 2 de setembro de 2015 - Nenhum Comentário

nexus-5

Agora que o Google confirmou o Android 6.0 Marshmallow, entramos naquele período em que esperamos pelo lançamento do tradicional primeiro smartphone com o sistema embarcado, o Nexus do ano.

Só que a experiência com o Nexus 6, fabricado pela Motorola não foi muito boa, tanto é que a oferta dele foi bem limitada (ele sequer deu as caras por aqui). Isso teria levado Mountain View a se voltar para a LG, que pode lançar uma versão revista do Nexus 5. Ou algo próximo disso.

continue lendo

emAndroid e Linux Google Mercado

Google punirá sites mobile que usam grandes banners de apps

Por em 2 de setembro de 2015 - 1 Comentário
linkedin-ad-app-banner

O LinkedIn, com seu banner gigante é um dos sites que vão entrar na mira do Google

Se você, assim como todo mundo costuma navegar bastante em seu dispositivo mobile já se deparou com essa situação: você entra em um site legal, esperando ler alguma notícia ou artigo e BAM! Um banner gigantesco aparece na tela, cobrindo tudo e enchendo o saco do usuário com “instale no app” ou coisa que o valha. É uma aporrinhação, ninguém gosta disso.

O Google também não gosta. A empresa vem realizando esforços para tornar a navegação mobile mais amistosa, seja comprimindo páginas para ajudar quem tem uma banda não muito boa, seja indicando quais sites ainda usam Flash para que sejam evitados. Agora, os banners chatos entraram na mira.

continue lendo

emSoftware Web 2.0

Kindle Paperwhite — MB Review #5: luz mais brilhante e melhor resolução para uma leitura mais confortável

Por em 2 de setembro de 2015 - 1 Comentário

mb-review_kindle_paperwhite

O MB Review testou o Kindle Paperwhite, um leitor de e-books com tela de 6 polegadas e uma resolução de 1.430 × 1.080 pixels, com o dobro de pixels do modelo anterior (segundo a Amazon). O resultado é que a densidade de pixels de 300 pontos por polegada é realmente excelente, e fica praticamente impossível perceber algum defeito na tipologia.

mb-review_kindle_paperwhite_resolucao

O brilho da tela também foi muito melhorado e dá plenamente conta do recado para ler embaixo do sol mais inclemente, embora não seja tão alto quanto brilho do Kindle Voyage, o topo de linha da Amazon que também pretendemos testar em breve.

Assista ao vídeo abaixo e leia o review completo na sequência.

Kindle Paperwhite — MB Review #5: luz mais brilhante e melhor resolução para uma leitura confortável

continue lendo

emAnálise Computação móvel Destaque Destaques Livros Resenha